Artes e Artistas

A MACARÉU – Associação Cultural propõe diálogos abertos com diversos artistas, ao longo de um ciclo cujo tema é a Arte em geral —filosofia e expressão— compreendendo, também, naturalmente, as formas particulares de pensamento e de abordagem crítica de cada convidado.

Conversa  com Rodrigo Costa

16.11, 16.00h

A r t e s  e  A r t i s t a s  .  c i c l o  d e  c o n v e r s a s

R o d r i g o  C o s t a  .  E s t i l o  d e  C o n c e i t o

… Em presença de obra ou obras suas, como pano de fundo, o Autor exporá a relação entre a ideia e a forma que dão corpo ao conceito expresso num estilo ––implícitas as opções temáticas.

Em diálogo aberto, o propósito é o de evidenciar a importância da estrutura genética, da educação e da cultura do contexto onde o Autor nasceu e se desenvolveu, sem que, na ideia de se ser preciso, seja possível quantificar quanto de genético, de educação e de cultural determina a ideia e a forma ––o conceito–– e o gesto/estilo, sabendo-se que as coincidências são a definição simples para a complexidade das consequências, já que o regime da existência é de causalidade.

Por quê a realidade nos atrai; e por quê, dela nos afastamos, sem, através das sínteses, a perdermos de vista.

E se é verdade que uma obra de arte pode ser tida como elemento decorativo com repercussão económica, ela é, deve ser, sobretudo, a expressão de alguém que, sentindo e entendendo, de modo particular, tem a necessidade de comunicar; de abrir ao mundo o que, na inter-relação e por percepção, dele colhe ––como forma, também, de se mostrar como mundo, em si mesmo…

Rodrigo Costa

Setembro. 2019 

Rodrigo Vieira da Costa | 4 de Setembro de 1952, em V. N. de Gaia | Curso Geral de Artes Visuais, da Escola de Artes Decorativas de Soares dos Reis.

Durante 20 anos, desenvolveu a sua actividade profissional como designer e ilustrador gráfico. Dedica-se, desde 1990 e em exclusivo, à actividade artística, com obras, de que é autor, presentes em colecções particulares, em Portugal, Espanha, França, Irlanda, Inglaterra e Índia; e em instituições públicas e privadas, tais como a Câmara Municipal de Gaia, casa-Museu João Mário; Millennium bcp e Banco Português de Investimento.

Exposições individuais:

1990Teatro Rivoli, Porto; 1991Casa Tait, Porto | 1992TLP, Porto | 1993SNBA, Lisboa | 1994Galeria Escada 4, Cascais | 1995Galeria DaVinci, Porto | 1997Espaço de arte Eugénio Torres, Porto | 1998SNBA, Lisboa; Casa-museu Teixeira Lopes, V N de Gaia | 2000Galeria ART K, Paris | 2001Galeria da Casa do Pessoal da RTP, Lisboa | 2004Euroarte, Lisboa | 2005Galeria DITEC, Lisboa; 2007Irish Art Fair, Dublin | Art London, Londres, integrado na Mauger Moder Art | AVIZ, galeria de arte, Porto; 2008Mauger Modern Art, Bath UK | 2010Anglo-Portuguese Society, Londres | Paula Cabral, galeria de arte, Lisboa | 2012 Galeria ArtesSolar de Stº António, Porto | 2016Ordem dos Médicos, Porto | 2017Espaço Arte Livre, Lisboa | 2018Museu de Ovar, Ovar; Galeria Zeller, Espinho | 2019 – Livraria Barata, Lisboa.

Participou em inúmeras exposições de carácter colectivo, de entre as quais, Jorgensen Fine Art, Dublin; Royal Academy of Arts, Summer Exhibition 2012, Londres | ROIRoyal Intitute of Oil Painters, London, 2013.

Design:

2001Jarra, em biscuit, produzida pela Vista Alegre, para celebração da Cidade do Porto como Capital Europeia da Cultura, em 2001 | 2004 – Jarra, em cristal, com dragão, produzida pela Atlantis | 2008 – Design do álbum Dowload Junk, da banda canadiana, Moneyshot, sediada em Londres. A capa reproduz o seu quadro “Como Marcas Deixadas Por Um Deus De Tão Longe…”.

Livros:

1990Apontamentos sobre o Porto / desenhos a pastel, com textos de Anabel Paúl, Sérgio Mourão e do Escultor Silva Nogueira —edição patrocinada pelo Banco Pinto e Sotto Mayor | 1992Rodrigo Costa, por opção / pintura, com textos de  Arnaldo Silva, Prof. Daniel Serrão, Fernando Jasmim, Manuel António Pina e do autor | 1996Trinta Poemas / poesia, com prefácio de António Almeida Matos, e editado pela Estar editora | 2000 – Sem título / pintura, com textos de Arnaldo Silva, prof. Mário Rocha, Martins Vouzela e do autor | 2003Arte: que investimento?…, ensaio, 1ª edição, com prefácio de Tiago Krusse e publicado por Terramágica editora | 2007Amor: tragédia e redenção / sátira poética, com intervenção e prefácio de Arnaldo Silva, e publicado pela Papiro editora | 2009Arte: que investimento?…, ensaio, 2ª edição, reformulada, com prefácios de Helena Branco e de Tiago Krusse | 2010The Landscape as the place of Everything / A paisagem como lugar de tudo, bilingue, com poemas de Eileen Mayer, poetisa Irlandesa, e prefácio de John Kelly | 2014Eu, o Woody e o Piano, entre Coincidências, sátira, com prefácio do jornalista António Simões | 2016INSPIRAÇÃO com  suor . suor sem INSPIRAÇÃO, ensaio, com prefácio do maestro António Vitorino d’Almeida, edição K innovative diffuser.

 MAIO 2019

Vozes da escrita – um(a) escritor(a) na Macaréu

Macaréu – Associação Cultural convida um(a) escritor(a) para, em tertúlia, conversar não só sobre literatura, livros e autores mas, também, sobre questões intemporais que inquietam, ensombram e/ou fazem interrogar as sociedades contemporâneas.

29.06

Às 21.00h

Sessão 1: com o escritor Gabriel Magalhães

Luanda, 1965. Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses e Espanhóis, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Doutorou-se na Universidade da Salamanca, em Espanha, com uma tese intitulada Garrett e Rivas: O Romantismo em Espanha e Portugal (publicada pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda em 2009). Foi professor na Universidade de Salamanca e é docente da Universidade da Beira Interior, onde exerceu os cargos de Diretor da Licenciatura em Estudos Portugueses e Espanhóis e da Licenciatura em Ciências da Cultura. Tem publicado obras de investigação e ensaios sobre temas ibéricos: Los secretos de Portugal (RBA, 2012), Como Sobreviver a Portugal Continuando a Ser Português (Planeta, 2014) e Los españoles (Elba, 2016). Promoveu também projetos de investigação nesta área, nomeadamente o projeto “Relações Linguísticas e Literárias entre Portugal e Espanha desde os Inícios do Século XIX até à Atualidade” (RELIPES). Com o romance Não Tenhas Medo do Escuro (Difel, 2009), recebeu o Prémio de Revelação da Associação Portuguesa de Escritores. Outras obras romanescas: Planície de Espelhos (Difel, 2010), Madrugada na Tua Alma (Alêtheia, 2011), Restaurante Canibal (Alêtheia, 2014) e Os Crimes Inocentes (2018). Ensaios de espiritualidade cristã: Espelho Meu (Paulinas, 2013), O Mapa do Tesouro (Paulinas, 2015) e Ser a casa (2018), publicado em catalão, em Barcelona, pela Fundació Joan Maragall, e depois editado em português com o título A Casa da Alegria (Paulinas, 2019). Recebeu em 2018 o prémio Bisbe Joan Carrera, na categoria de Diálogo Fé e Cultura. Livros seus foram traduzidos para catalão, espanhol e italiano. Colabora no jornal La Vanguardia, de Barcelona. Publicou crónicas também no Jornal do Fundão.

Sinestesias

Sinestesias (sessão 45)

Excepcionalmente, a próxima sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros será na 2ª feira, dia 26 de Julho, às 21.00h. Continuaremos a conversar sobre as leituras durante o confinamento que, felizmente, foram muitas.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/

Nota: A Macaréu assegura condições para distanciamento social e a higienização dos espaços.

This image has an empty alt attribute; its file name is poente-sin-1.jpg

Sinestesias (sessão 44)


Na próxima 3ª feira, dia 29 de Junho, às 21.00h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão continuará a versar sobre as leituras durante o confinamento.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/

Nota: A Macaréu assegura condições para distanciamento social e a higienização dos espaços.

Sinestesias (sessão 43)


Na próxima 3ª feira, dia 15 de Junho, às 20.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão versará sobre as leituras durante o confinamento.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/

Nota: A Macaréu assegura condições para distanciamento social e a higienização dos espaços.

Aviso – reinício de SINESTESIAS

Estimados frequentadores das Sinestesias

É com o maior agrado que vimos informá-los de que pretendemos recomeçar as sessões de Sinestesias ao fim de tão longo interregno.

Mudamos o dia e o horário das sessões o qual passará a ser agora às terças feiras, com início às 20.30h.

Ficam já convidados para a sessão 43 de Sinestesias, a realizar no dia 15 de Junho, no novo horário. O tema desta sessão será: As leituras durante o confinamento.

Na próxima semana relembraremos a data e hora da sessão.

Apareçam e tragam outros amigos também!

Até breve!

Na próxima 4ªf, dia 11 de Novembro, não se realizará a sessão nº 43 de Sinestesias.

AVISO RELATIVO A SINESTESIAS

Atendendo ao Estado de Emergência decretado no dia 6 de novembro de 2020 pelo Presidente da República, que entra em vigor às 00h00 do dia 9 de novembro, o qual interdita a circulação na via pública a partir das 23.00h nos dias de semana, as actividades culturais nocturnas na Macaréu não poderão realizar-se nos horários habituais. Tal é o caso de Sinestesias cujas sessões têm início às 21.30h.

Atendendo a este facto, vimos indagar junto dos habituais frequentadores de Sinestesias se pretendem continuar com as sessões quinzenais mas a começarem num outro horário (às 18.00 ou às 20.00h).

Caso não possam nos horários sugeridos, teremos novamente de interromper as sessões até que o estado de emergência seja levantado ou as condições sanitárias do país o permitam.

Boas leituras!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/ 

Sinestesias (sessão 42)


Na próxima 4ª feira, dia 28 de Outubro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão versará sobre a Mulher.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/

Nota: A Macaréu assegura condições para distanciamento social e a higienização dos espaços.

Sinestesias (sessão 41)


Na próxima 4ª feira, dia 14 de Outubro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão versará, mais uma vez, sobre a cidade do Porto na literatura.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Sinestesias (sessão 40)


Na próxima 4ª feira, dia 30 de Setembro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão versará sobre a obra literária de Camilo Castelo Branco.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/

Nota: A Macaréu assegura condições para distanciamento social e a higienização dos espaços.

Sinestesias (sessão 39)


Na próxima 4ª feira, dia 16 de Setembro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão versará sobre a cidade do Porto nas obras literárias.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/

Nota: A Macaréu assegura condições para distanciamento social e a higienização dos espaços.

Retomar Sinestesias

Após um longo interregno motivado pelas circunstâncias que todos vivemos,  a Macaréu – associação cultural reabriu a porta no dia 23 de Junho, com as regras sociais e sanitárias que ora se impõem, pretendendo continuar com as suas actividades regulares.

É o caso de Sinestesias cuja última sessão antes do confinamento teve lugar no dia 4 de Março (sessão 38).

Pretendemos retomar as sessões quinzenais de tertúlias a propósito de livros a partir de 16 de Setembro e queremos contar com a vossa presença sem a qual Sinestesias não é possível.

Divulguem Sinestesias entre os vossos amigos e tragam-nos convosco à Macaréu.

Até Setembro!

Sinestesias (sessão 38)


Na próxima 4ª feira, dia 4 de Março, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão versará sobre obras literárias que inspiraram o cinema.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/

Sinestesias (sessão 37)


Na próxima 4ª feira, dia 19 de Fevereiro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão será o Teatro.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/

Sinestesias (sessão 36)


Na próxima 4ª feira, dia 5 de Fevereiro, às 21.30h, após cancelamento de última hora da sessão do dia 22 de Janeiro, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão mantém-se e será a obra de Agustina Bessa Luís.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/

Sinestesias (sessão 35)

Na próxima 4ª feira, dia 8 de Janeiro, às 21.30h, após uma breve pausa de Natal, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão será O autor e a obra – escritores polémicos.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/ 

Sinestesias (sessão 34)


Na próxima 4ª feira, dia 11 de Dezembro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão será a Imortalidade.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/

Sinestesias (sessão 33)

Na próxima 4ª feira, dia 27 de Novembro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão será a Felicidade.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/ 

Sinestesias (sessão 32)

Na próxima 4ª feira, dia 13 de Novembro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão será a Espiritualidade.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/

Sinestesias (sessão 31)

Na próxima 4ª feira, dia 30 de Outubro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão prosseguirá com poetas provocadores.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/ 

Sinestesias (sessão 30)

Na próxima 4ª feira, dia 16 de Outubro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão será em torno de poetas provocadores.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/ 

Sinestesias (sessão 29)

Na próxima 4ª feira, dia 2 de Outubro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão será, mais uma vez, a viagem.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Web: https://macareu.org/ FB:https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural‐ 989860331219583/

Sinestesias (sessão 28)

Na próxima 4ª feira, dia 18 de Setembro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão é  misoginia na literatura contemporânea.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Sinestesias (sessão 27)

Após um curto interregno para férias, retomamos as nossas sessões quinzenais de Sinestesias.

Assim, na próxima 4ª feira, dia 4 de Setembro, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão é  sobre literatura de Viagens.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Sinestesias (sessão 26)

Na próxima 4ª feira, dia 24 de Julho, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão é sobre a relação Arte e Poder.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Sinestesias (sessão 25)

Na próxima 4ª feira, dia 10 de Julho, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema proposto para esta sessão foi Natália Correia – a mulher e a escritora.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem! 

Sinestesias (sessão 24)

Na próxima 4ª feira, dia 26 de Junho, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. O tema desta sessão abordará a escrita de Mário de Carvalho.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Sinestesias (sessão 23)

Na próxima 4ª feira, dia 12 de Junho, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros. Dado o acontecimento entretanto ocorrido, sugere-se para esta sessão  uma (re)visitação à obra de Agustina Bessa Luís.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Sinestesias (sessão 22)

Na próxima 4a feira, dia 29 de Maio, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros, desta vez sobre Revoluções.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Sinestesias (sessão 21)

Na próxima 4ª feira, dia 15 de Maio, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros, desta vez a partir d’ Os naufrágios de Camões (de Mário Cláudio).

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Sinestesias (sessão 20)

1.05 às 21.30h

Na próxima 4ªfeira, dia 1 de Maio, às 21.30h, haverá mais uma sessão da tertúlia da Macaréu a propósito de livros.

E, como esta sessão coincide com a comemoração do Dia do Trabalhador, sugerimos que a tertúlia se desenrole a partir de textos de autores que, nas suas obras, se preocuparam com as condições do homem e da mulher enquanto trabalhadores tantas vezes despoticamente explorados pelas sociedades.

Contudo, também podem trazer os livros que estão a ler e partilhar as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Palavras escritas, multiplicando-se ditas em várias vozes, sussurrando, ciciando, acariciando, gritando, mexendo, ferindo, matando, apaziguando os sentidos, vibrando, alertando, enovelando sensações, fundindo-se num abraço aconchegante.

Sinestesias, uma pequena tertúlia informal entre amigos, em torno de livros, foi lançada no início de 2018, na sede da actual Macaréu – Associação Cultural, tendo continuado quinzenalmente, às quartas-feiras à noite.

Sinestesias é essencialmente um encontro de pessoas que gostam de ler e de partilhar as suas leituras com os outros. A partir de excertos lidos ou de textos sugeridos, a conversa flui naturalmente em torno do tema, expandindo-se, muitas vezes, em múltiplas direcções.

Gostaríamos de envolver mais pessoas que têm como denominador comum o gosto pelos livros e, assim, refrescar as nossas tertúlias com novos elementos, de diferentes idades e formações.

A próxima sessão (19ª), após um curto interregno, será na próxima 4ªf, dia 17 de Abril, às 21.30h. Sinestesias necessita da presença de todos(as) para existir!

Tragam os livros que estão a ler e partilhem as vossas opiniões sobre os autores que mais apreciam.

Apareçam e divulguem!

Exposições

2.07

Às 19.00 h

3.07

Às 17.00h

Abertura da exposição de Norman Ramunni quasi arte, com a presença do autor.

Sinopse

N O R M A N  “quasi  arte”

O autor, depois de um longo percurso na decoração de montras, showrooms e eventos, um pouco por todo o país, abraçou uma nova aventura que consiste na construção de peças decorativas, ou objectos  “quase a roçar a  arte”.

A partir de materiais novos e/ou  usados, usa principalmente madeira e ferro e abusa de colagens, usando  outros materiais como o fio, o tecido e algumas pedras semi-preciosas.

Faz questão de juntar a todas as peças um ou mais pontos de luz de forma a que,  para além de decorativas, também possam ser úteis.  

Esta colecção apresenta uma variedade de peças grandes e pequenas e, quase todas, formadas por grupos de duas ou três.

Autobiografia

Nasceu em 1948, em Tete, Moçambique. Filho de mãe indiana (Damão) e de pai italiano (Conversano di Bari), foi viver para Goa com dez anos, tendo vindo para Portugal em 1961. Estudou no Colégio de Ermesinde e viveu no Porto até 2016, ano em se mudou para Lisboa onde vive até agora.

Com uma grande aptidão para o desenho livre, cedo começou a ganhar prémios sempre que era desafiado a mostrar o seu talento e até ajudava o seu professor, que era arquiteto, nos seus trabalhos, durante as aulas do 8º, 9º e 10º anos.

No Porto, participou na sua primeira exposição colectiva, enquanto trabalhador de uma empresa e, mais tarde, quando iniciou a sua atividade como decorador de montras e eventos,(1993 a 2012), “deu asas”  à sua imaginação e criatividade, tendo ganho vários prémios em concursos de montras. Foi considerado pela Associação de Vitrinistas de Portugal como o único cenógrafo, no país. Entretanto,  a dra. Teresa Lapa, Conservadora da Casa Museu Teixeira Lopes, em Vila Nova de Gaia, surpreendida com vários dos seus trabalhos, enquanto membro de júri dos concursos de montras,  convidou-o, em 1997,  a apresentar uma retrospectiva dos seus trabalhos, na Galeria Diogo de Macedo, evocando que iria ser muito interessante, visto tratar-se de uma exposição completamente diferente do habitual. De facto, considerada inédita na história da Diogo Macedo, foi também, também, visitada por cerca de  600 alunos das escolas de Gaia. Seria a sua 1ª exposição individual.

Nesta, apresentou, pela primeira vez, duas esculturas em ferro. Uma, um Cristo, todo construído em verguinha de ferro de construção, com espessuras e diâmetros diferentes e com uma altura de mais de 2 metros. Esta escultura seguiu, por sugestão da Conservadora, para uma exposição colectiva, organizada pela Cooperativa da Árvore no parque de Exposições da Feira. Era a sua 2ª colectiva.

Em 2000, apresentou a 2ª exposição individual, no Porto, no restaurante Ribeira Douro. O tema “in tubo” era constituído por 6 peças em tubo inox com bases de 40×40 e alturas de 180 cm. e, teve direito a uma boa entrevista no Jornal Notícias.

Considerado uma pessoa muito criativa e experiente na área de decoração de montras e eventos, foi várias vezes convidado para palestras e entrevistas. Numa Feira da Porto Jóia, foi elogiado o conceito de “LIXO DE LUXO” que é, um pouco, o trabalho que vem realizando sobre o aproveitamento de material que “já não presta” e que, como também se pode ver nesta exposição, pode resultar em trabalhos  muito interessantes.

Mais recentemente, em 2020, realizou a sua 3ª exposição individual, em Lisboa.

Os seus objectos de arte encontram-se  representados em coleções particulares, no Porto e em Lisboa.

MACARÉU – Associação Cultural

NORMAN RAMUNNI

2 JULHO – 28 JULHO


29 de Maio

Às 16:00


Abertura da exposição BIRRO, patente até 23 de Junho

BIRRO é o titulo da exposição que reúne três trabalhos de três estudantes de 4º ano da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, e que irá abrir ao público no próximo dia 29 de maio, sábado, pelas 16h00, na Macaréu – associação cultural. 

Na inauguração será possível ver uma das performance de Inês Tinoco e os trabalhos ‘Matéria disponível’ de Rosinda Casais e ’Transformação’ de Bruno Bordalo. 

Inês Tinoco, na inauguração do dia 29, irá apresentar ‘(In)animados’, um ensaio sonoro que dá voz a corpos silenciosos. Este projeto é proveniente de uma sequela de experimentação do som escultórico, como a exploração da música no ruído. Os atos são exercícios de exploração física que transformam o ruído atmosférico. O caótico melódico é consentido. É aconselhável um ouvido desatento. O público é convidado a assistir a um primeiro momento de atuação sobre a instalação, que depois permanecerá aberta a quem lhe quiser pôr a mão. 

‘Matéria disponível’ de Rosinda Casais foi elaborado de março a junho de 2020, durante o primeiro distanciamento social devido à covid-19. Consiste nos restos da fachada do prédio onde ela habita e numa composição que sobrepõe o registo fotográfico de diversas comunicações visuais realizadas no pátio desse prédio e imagens retiradas do euronews. É, por isso, um trabalho que fala de isolamento e da necessidade de comunicar e viajar dentro de casa, mas também dos momentos mediáticos que preenchiam toda essa atmosfera.

‘Transformação’ de Bruno Bordalo consiste num conjunto de objetos em gesso que após moldados sofrem a transformação. As diferentes peças encaixam umas nas outras e criam uma ligação. O conjunto é de conexão, tal como a ligação que existe entre pessoas. Os laços familiares, a amizade e as vivências moldam-nos e diferenciam-nos de qualquer outra espécie. O abraço e o toque são algo que nos caracteriza como seres humanos e, em ‘Transformação’, são materializados com gesso.

A exposição com trabalhos de Rosinda Casais e Bruno Bordalo permanecerá até 23 de junho, sextas-feiras e sábados, a partir das 18h00.

As visitas devem ser agendadas com antecedência através do contacto telefónico +351 933 135 993.

30.04

Às 18.30 h

Abertura da exposição de Elsa Melo GET A REAL JOB.

“Get a Real Job” é uma exposição que conta com um conjunto de obras em tela e papel da artista Elsa Melo.

O questionamento sobre o consumismo, o sistema e o lugar que cada um tem na sociedade por aquilo que é ou tem, são os assuntos mais explorados nas obras expostas.

A artista apresenta-nos ainda, através da sua expressão artística, as personagens que habitam o seu inconsciente que, ora aparecem em primeiro plano da tela, ora se escondem no plano de fundo da mesma. E, admite apropriar-se dos ícones familiares aqui mostrados para que a sua mensagem chegue facilmente ao espetador.

O tema desta exposição foi escolhido à luz de uma obra da artista que faz parte desta mostra, e pretende colocar o público numa posição de questionamento sobre o que é “um verdadeiro trabalho” e qual o valor real dessa expressão no indivíduo singular e plural contemporâneos.

Nota Biográfica

Elsa Melo nasceu no Porto em 1991, licenciou-se em Cinema e Audiovisual na Escola Superior Artística do Porto, adquiriu o grau de mestre em Estudos Artísticos, na vertente de Estudos Museológicos e Curadoriais, na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e começou, posteriormente, a construir o seu percurso na pintura de forma autónoma e espontânea.

A artista admite ter como principais inspirações o neoexpressionismo dos anos 80, o legado do pintor Jean Michel Basquiat, as máscaras africanas e a arte outsider e mostra um grande interesse na exploração de diversos materiais.

Elsa dá a conhecer uma forma de expressão claramente inovadora. Aqui, a apropriação da cultura Pop e a presença de diversas personagens funcionam como motor de questionamento relativo àquilo que é, nos dias de hoje, a relevância do consumismo, do sistema e do posicionamento social.

MACARÉU – Associação Cultural

ELSA MELO

30 ABRIL – 26 MAIO

10.10

Às 18.30h

Abertura da exposição individual de Nuno Moutinho

40 anos não são 40 dias

MACARÉU – Associação Cultural

NUNO MOUTINHO

10 OUTUBRO – 11 NOVEMBRO

11.09

Às 19.00h

Abertura da exposição individual de cerâmica de Olga Ferreira

No Outono

Olga Ferreira
Iniciou-se na aprendizagem das artes no atelier de pintura de Eveline Oliveira, em 1992.
Em 1998, em consequência de uma visita a uma exposição dos alunos da Cooperativa Artística Árvore e impressionada com o trabalho de Helmar, inscreveu-se como aluna do curso de cerâmica sob direção do ceramista João Carqueijeiro.

Com este seu mestre, continua a aprender e sob sua orientação desenvolve projectos como o que aqui se apresenta.

Em 2005 iniciou com quatro artistas o projecto Oficina 2000&5, um espaço de cerâmica artística, terminado em final de 2009.
Tem no seu curricula exposições colectivas e está representada em coleções particulares.

MACARÉU – Associação Cultural

OLGA FERREIRA

NO OUTONO

11 SETEMBRO – 7 OUTUBRO

7.03

Às 16.00h

Abertura da exposição individual de pintura de Rodrigo Costa

O tempo não fica nem espera

… Do Tempo colho, apenas, o tempo que me resta. Desde o princípio. Cantando-lhe os encantos, como quem colhe flores; como quem, entre escolhos, usa os olhos, do corpo e da alma, tentando ver para lá do efémero… Como se as formas e as cores sejam sinais de chamamento fundamentado na voz da Existência… porque existir é ver. Com os olhos do corpo e da alma…

Rodrigo Costa

24 . 02 . 2020

Rodrigo Vieira da Costa | 4 de Setembro de 1952, em V. N. de Gaia | Curso Geral de Artes Visuais, da Escola de Artes Decorativas de Soares dos Reis.

Durante 20 anos, desenvolveu a sua actividade profissional como designer e ilustrador gráfico. Dedica-se, desde 1990 e em exclusivo, à actividade artística, com obras, de que é autor, presentes em colecções particulares, em Portugal, Espanha, França, Irlanda, Inglaterra e Índia; e em instituições públicas e privadas, tais como a Câmara Municipal de Gaia, casa-Museu João Mário; Millennium bcp e Banco Português de Investimento.

Exposições individuais:

1990Teatro Rivoli, Porto; 1991Casa Tait, Porto | 1992TLP, Porto | 1993SNBA, Lisboa | 1994Galeria Escada 4, Cascais | 1995Galeria DaVinci, Porto | 1997Espaço de arte Eugénio Torres, Porto | 1998SNBA, Lisboa; Casa-museu Teixeira Lopes, V N de Gaia | 2000Galeria ART K, Paris | 2001Galeria da Casa do Pessoal da RTP, Lisboa | 2004Euroarte, Lisboa | 2005Galeria DITEC, Lisboa; 2007Irish Art Fair, Dublin | Art London, Londres, integrado na Mauger Moder Art | AVIZ, galeria de arte, Porto; 2008Mauger Modern Art, Bath UK | 2010Anglo-Portuguese Society, Londres | Paula Cabral, galeria de arte, Lisboa | 2012 Galeria ArtesSolar de Stº António, Porto | 2016Ordem dos Médicos, Porto | 2017Espaço Arte Livre, Lisboa | 2018Museu de Ovar, Ovar; Galeria Zeller, Espinho | 2019 – Livraria Barata, Lisboa.

Participou em inúmeras exposições de carácter colectivo, de entre as quais, Jorgensen Fine Art, Dublin; Royal Academy of Arts, Summer Exhibition 2012, Londres | ROIRoyal Intitute of Oil Painters, London, 2013.

Design:

2001Jarra, em biscuit, produzida pela Vista Alegre, para celebração da Cidade do Porto como Capital Europeia da Cultura, em 2001 | 2004 – Jarra, em cristal, com dragão, produzida pela Atlantis | 2008 – Design do álbum Dowload Junk, da banda canadiana, Moneyshot, sediada em Londres. A capa reproduz o seu quadro “Como Marcas Deixadas Por Um Deus De Tão Longe…”.

Livros:

1990Apontamentos sobre o Porto / desenhos a pastel, com textos de Anabel Paúl, Sérgio Mourão e do Escultor Silva Nogueira —edição patrocinada pelo Banco Pinto e Sotto Mayor | 1992Rodrigo Costa, por opção / pintura, com textos de  Arnaldo Silva, Prof. Daniel Serrão, Fernando Jasmim, Manuel António Pina e do autor | 1996Trinta Poemas / poesia, com prefácio de António Almeida Matos, e editado pela Estar editora | 2000 – Sem título / pintura, com textos de Arnaldo Silva, prof. Mário Rocha, Martins Vouzela e do autor | 2003Arte: que investimento?…, ensaio, 1ª edição, com prefácio de Tiago Krusse e publicado por Terramágica editora | 2007Amor: tragédia e redenção / sátira poética, com intervenção e prefácio de Arnaldo Silva, e publicado pela Papiro editora | 2009Arte: que investimento?…, ensaio, 2ª edição, reformulada, com prefácios de Helena Branco e de Tiago Krusse | 2010The Landscape as the place of Everything / A paisagem como lugar de tudo, bilingue, com poemas de Eileen Mayer, poetisa Irlandesa, e prefácio de John Kelly | 2014Eu, o Woody e o Piano, entre Coincidências, sátira, com prefácio do jornalista António Simões | 2016INSPIRAÇÃO com  suor . suor sem INSPIRAÇÃO, ensaio, com prefácio do maestro António Vitorino d’Almeida, edição K innovative diffuser.

 MAIO 2019

MACARÉU – Associação Cultural

O TEMPO NÃO FICA

 NEM ESPERA

  RODRIGO COSTA  

7 de Março – 8 de Abril

Exposição de escultura cerâmica de João CARQUEIJEIRO

Abertura no dia 8 de Fevereiro, às 18.30h, na Macaréu

“Escombros”Instalação Cerâmica – 12 elementos

Ano 2018

Materiais: Grés, óxidos e vidrado de cinzas, queima a 1250º C

Dimensões: Variáveis – 250cmx200cmx200cm

Quase Sinopse

“…Cada árvore é um pássaro renascido, uma promessa em suspenso nas mãos do artista. Um combate surdo entre o silêncio/negro e a explosão da cor que se pronuncia…”

                                                                                         Eduardo Leal             

                                                                             Poeta/Filósofo/Dramaturgo

Excerto do texto para a exposição no Museu da Guarda no âmbito do “ Siac 4 “ no ano 2019.

Painéis Cerâmicos:

45x45x3 cm

Série Intitulada ” Paisagens Perdidas”

Realizadas a partir de 2018, continuando esta série, como ideia central a abstração paisagística, quer terrestre, quer marítima, quer somente as atmosferas.

MACARÉU – Associação Cultural

E S C O M B R O S

 (escultura cerâmica)

  JOÃO CARQUEIJEIRO

8 de Fevereiro – 4 de Março

Back to the Future

Exposição de fotografia de Vladimir Omeltchenko

 Abre no dia 4 de Janeiro, às 18.00h

Vladimir Omeltchenko, profissionalmente um músico, desde sempre teve um grande interesse pelo mundo da fotografia. Começou a tirar as suas primeiras fotos ainda na adolescência, a preto e branco, na altura com uma máquina da família, muito simples, da marca soviética “Smena”, de 35 mm.

Com a passar do tempo, o gosto pela fotografia cresceu e foi aumentado a sua “produção” fotográfica, distribuindo as suas obras pelos amigos e colegas ainda na escola. Nesta mesma altura experimentou várias técnicas, fazendo as exposições na sua Alma Mater, com as fotografias impressas pelo próprio, em casa, num laboratório improvisado.

Com a sua máquina fotográfica de espelho “Zenit”, passou para o mundo de fotografia a cores, levando-a em viagens, também nas muitas digressões da Orquestra Sinfónica dos Urais ao estrangeiro. Ao chegar a Portugal, com essa mesma máquina Zenit, testemunhou as belas paisagens do País e deslumbrou-se com novos horizontes.

Embora a presente Exposição seja a primeira oficial do autor, já há muito que o mesmo, graças a recursos tecnológicos da Net, publica e partilha as suas impressões visuais com os amigos, espalhando e divulgando pelo mundo inteiro as belezas de Portugal.

MACARÉU – Associação Cultural

BACK TO THE FUTURE

(fotografia)

VLADIMIR OMELTCHENKO

4 de Janeiro – 5 de Fevereiro

MACARÉU – Associação Cultural

FAZER A CIDADE

Exposição de fotografia do

Porto de 1925

(acervo particular de César Romão)

Macintosh HD:Users:helena:Desktop:Associação MACARÉU:Macaréu site:EXPOSIÇÕES:Exp 7 César:A a Macareu.jpg

7 Dezembro – 2 de Janeiro

MACARÉU – Associação Cultural

HELENA CARDOSO

REFLEXÃO

Macintosh HD:Users:helena:Desktop:Associação MACARÉU:Macaréu site:EXPOSIÇÕES:Exp 6 Helena Cardoso:CA.jpg

Foto de Teresa Teixeira

9 Novembro – 4 Dezembro

A abertura da exposição Reflexão de Helena Cardoso e visualização de um documentário sobre o projecto será no dia 9.11, às 18.00h. Haverá, também, uma conversa com a Arq. Fernanda Alcântara.

A exposição estará patente na Macaréu até 4 de Dezembro.

A tarefa de proteger as artes populares é (…) extremamente delicada, pelas restrições que pode trazer à sua evolução. Sendo a arte um organismo vivo, tem naturalmente suas contingências de evolução e desaparecimento. Qualquer tentativa de prolongar a sua duração pode perturbar a sua verdade, transformando-a em coisa artificial e anacrónica. Outro perigo é o das adaptações que podem ser tentadas em torno de elementos verídicos de arte popular, para especulações industriais e turísticas. Deforma-se a tradição, inutilmente, pois, destituído de seu fundamento de verdade, de significado, de expressão humana, tudo são sinais exteriores, sem funções, destinados a uma decadência inglória.  Não se pode, por outro lado, impor a um povo formas de arte já vividas por ela mesmo, se elas não foram sustentadas pela sua sensibilidade.  Não se pode reatar uma tradição interrompida.

Cecília Meireles, As artes plásticas no Brasil, Artes populares, 1968:23-24

Helena Cardoso (Porto, 1940) é designer e artista plástica.

Em 1987 integrou o projecto “Formação, Capacitação Profissional de Mulheres”, organizado pela Comissão da Condição Feminina (CCF) no âmbito do qual criou e formou os grupos “Combate ao Frio” (lã) em Relvas, “Capuchinhas” (burel) em Campo Benfeito e “Lançadeiras” (linho) em Picão.

A convite do Instituto de Apoio à Emigração e Comunidades Portuguesas,  integrou em 1991 o projecto Saberes Antigos/ Perspectivas Novas, dirigido à mulher emigrante na divulgação da cultura portuguesa na área artesanal, dando formação emFrança, Alemanha, Holanda, Luxemburgo e Bélgica,

Colaborando há mais de 30 anos com as mulheres das regiões carenciadas de Portugal, alertando para a condição da mulher e contribuindo para a preservação e continuidade dos saberes tradicionais, tem diversificado o seu trabalho artístico pelas parcerias que foi estabelecendo tanto com artesãs da área têxtil – tecelãs e bordadeiras, mas também com ceramistas, penteeiros, ourives e outros mesteres e artífices, aplicando o seu saber e criatividade na produção de peças contemporâneas de usos e tipologias diversas, aliando design & tradição.

De entre os locais onde expôs e apresentou passagens de modelos em Portugal, destacam-se o Museu do Traje de Viana do Castelo (1995), o Museu Nacional do Traje em Lisboa (1999), o Museu Nogueira da Silva em Braga (2001), o Museu Nacional de Machado de Castro (2001), o Museu de Arte Contemporânea de Serralves (2001), o Centro Cultural de Vila Flor em Guimarães (2007). No estrangeiro apresentou o seu trabalho no Brasil, França, Venezuela, Espanha, Porto Rico e Macau.

Participa em inúmeros colóquios, debates e mesas redondas sobretudo sobre temas relacionados com design e renovação dos saberes tradicionais.

Recentemente destacam-se os convites para a realização de peças têxtil para Árvore da Vida, Capela do Seminário Conciliar de São Pedro e São Paulo, em Braga (2011), cujo projecto envolveu artistas como Ilda David, Manuel Rosa e Asbjorn Andresen, e para a concepção do paramento para a ordenação Episcopal do Arcebispo D. José Tolentino Mendonça, Arquivista e Bibliotecário do Vaticano (2018). A par do seu trabalho individual com marca própria, colabora actualmente com a Casa da Lã em Bucos, Cabeceiras de Basto.

Recebeu várias menções honrosas e prémios a nível nacional e internacional das quais se destacam o primeiro prémio da Categoria Internacional da FERINART – Feira Internacional de Artesania em San Juan, Porto Rico (2006) e a Comenda da Ordem de Mérito concedida pelo Presidente da República, Dr Jorge Sampaio (2003).

A artista vive e trabalha entre a cidade do Porto e algumas aldeias do norte de Portugal.

Macaréu – Associação Cultural

porto – paris – porto

  1. Biografia Rui Mendes
    Rui Manuel Varejão Mendes nasceu no Porto, a 29 de outubro de 1954, na
    freguesia de Cedofeita. Frequentou a escola primária da Caramila, e o Liceu
    Normal de D.Manuel II. Em setembro de 1971, partiu para França onde trabalhou,
    durante treze anos, e onde estudou fotografia. Regressou a Portugal em 1984,
    dedicando grande parte do seu tempo à reportagem fotográfica a par da sua
    atividade profissional, no setor do comércio de fruta. Em 2006, ingressou na
    Faculdade de Letras do Porto, onde obteve a Licenciatura em Línguas ,
    Literaturas e Culturas, na variante de Português/Francês.
    Como fotógrafo, participa em diversas exposições como a “Objectiva-84” e
    “Objectiva-86”, da Festa do Avante. Expôs, individualmente, no Pavilhão da
    Emigração, da Festa do Avante 1984, sobre o tema “Portugueses em França”,
    com um conjunto de 20 fotografias. Expôs alguns trabalhos no 1.o Salão de
    Fotografia «Alegria-88», Braga. Em 1989, participa na Exposição Le Rêve
    Portugais- 25 ans d ́Immigration Portugaise en France, organizada pelo CEDEP,
    Paris. Em 2014, regressa ao fascínio do fenómeno fotográfico e participa na
    exposição de fotografias “Álbum de fotografias 1969-1979 em Portugal”
    organizado pela galeria MIRA Forum, Porto. Participação com o amigo, António
    Fernandes, no “Diaporama: As pinturas de abril como forma de arte e liberdade
    de expressão”, na Casa da Música Mirandesa, Miranda do Douro e École de la
    Ventenayé, Graulhet, França (2014).
  2. Ideia
    A razão deste projecto é dar propósito a milhares de fotografias
    escondidas durante 30 anos no armário de casa do Rui sem nunca terem sido
    mostradas ao público. As fotografias e as histórias representam a experiência de
    crescer, de emigrar, de descoberta de um novo país, de uma nova forma de vida.
    Representam a vida dos que tiveram de abandonar o seu país de origem na
    procura de uma vida melhor. Rui Mendes passou 13 anos a viver e a trabalhar
    em Paris, tendo saído do Porto quando tinha apenas 17 anos. Partiu como
    adolescente e regressou como homem para construir familia no país e cidade de
    origem. Durante estes anos, captou os ambientes em seu redor criando um
    retrato dos anos 80 em duas grandes cidades europeias — Porto e Paris. O seu
    maior interesse era fotografar pessoas, nas suas actividades do dia a dia, em
    locais familiares, como um distante observador que se aproxima e capta a sua
    fotografia, tentando estabelecer relação com a pessoa fotografada. O seu
    trabalho cria a sensação de como é viver entre duas cidades. O que é sentir-se
    em casa, quando a casa permanece só o sentimento. O seu trabalho está
    fortemente relacionado com a emigração portuguesa em França. Desde cedo,
    interessou-se em documentar a vida da comunidade Portuguesa em Paris com
    grande sensibilidade. Dos mercados às associações, dos seus locais de trabalho a
    festas, procurou os seus compatriotas, com quem partilhava histórias e
    fotografias e sentia mais em casa. Com as suas fotografias de rua criamos o
    sentimento de caminhar pelas ruas do Porto e Paris num tempo distante. Para
    muitos, esta viagem por estas ruas e locais pode ser pessoal, pois é uma histórica
    comum a muitas famílias portuguesas. O que parecia um registo aleatório
    fotográfico ganhou um propósito documental ao longo destas décadas e é essa
    importância pela nossa história e por a existência destes registos que, para nós
    este projecto faz todo o sentido.

Macaréu – Associação Cultural

À abertura da exposição é no dia 1.09, domingo, às 18.30h.

Daniela Sousa

Nasceu no Porto em 6 de Janeiro de 1968, na freguesia da Vitória, reside atualmente em Ovar.
Licenciada em Agricultura Sustentada, pela Escola Superior Agrária de Bragança (ESA-IPB), Licenciada no curso de Professores do Ensino Básico, 2º ciclo-variante Educação Visual e Tecnológica. Mestre em Educação Artística pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Iniciou o percurso profissional na Industria Agroalimentar na área da Gestão e Controlo da Qualidade. Exerce atualmente atividade docente no Ensino Básico e Secundário no domínio das Ciências Agrárias, Educação Artística e Artes Visuais.
O gosto pela fotografia emerge na adolescência quando lhe foi oferecida uma pequena máquina fotográfica que a transportou para um mundo novo, transformando-se numa companhia inseparável…captando momentos, desenvolvendo interesses. Alicerçada numa perspetiva autodidata é assim que vão acontecendo os progressos nesta área.


Mandalinices

Mandalinices é uma expressão criada que pretende aludir à “brincadeira”, “malandrice”, com mandalas. A expressão “Mandala” provém do sânscrito (língua clássica da Índia) e significa círculo. Composta pela palavra manda=essência e la=conteúdo, em suma “a que contém a essência” ou ainda “o círculo da essência”. O termo indiano, pretende designar desenhos circulares rituais e as mais significativas são encontradas no âmbito do Budismo Tibetano. Mandala, é uma representação simbólica, que interpreta a relação entre o Ser e o Universo, é um arquétipo e ilustra a noção de princípio, matriz, ordem, centro e totalidade. O Círculo, de dimensão transcultural, é também ele um arquétipo do inconsciente coletivo, que permite estabelecer pontes e criar inter-relações com as variadas áreas do saber e desconsiderando as interpretações, cuja significação simbólica comum, parece estar conotada com a proteção, o bem, a Paz… Mandalinices, resulta assim de uma pesquisa e reflexão sobre o “círculo da essência” no nosso universo quotidiano…

Luís Miguel Sousa

Nasceu no Porto em 4 de Setembro de 1969, na freguesia da Vitória. É formado em Cinema e Vídeo, pela Escola Superior Artística do Porto (ESAP), e Arqueologia, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP).
Foi na adolescência, enquanto frequentou o liceu do Padrão da Légua, que teve os primeiros contactos com os fascínios da imagem, experimentando em cinema, animação, fotografia, gravura, banda desenhada, etc. Neste período começou a sua formação musical, frequentando, alguns anos depois, a Escola de Jazz do Porto.
Iniciou o seu percurso profissional na ACE- Academia Contemporânea do Espetáculo, Escola Profissional, como docente em disciplinas de fotografia, vídeo e multimédia. Atualmente exerce funções no Teatro Municipal do Campo Alegre, no Porto. Ao longo do seu percurso tem colaborado em diversas produções audiovisuais multidisciplinares.

#Luzdouro

O rio Douro é um dos elementos estruturantes que formam o carácter único e extraordinário desta cidade do Porto. Nas suas margens, alcantiladas e intrincadas, brilham miríades de luzes e fogos-fátuos, que fascinam. Quando este rio está de bom humor e maré de feição, as suas águas, escuras e densas, parecem deter-se no seu percurso apressado para a Foz. Forma-se assim, um espelho perfeitamente polido pela ausência de brisa e corrente. Os reflexos multicoloridos que então se produzem, peculiares e exclusivos, impressionam vivamente quem os observa, mesmo que de forma inconsciente. #Luzdouro é um estudo fotográfico continuamente em aberto, uma demanda pela imagem mais fiel e impressiva e uma iniciação ao inusitado mister de “pescador de luzes”.

Macaréu – Associação Cultural

NELSON ISIDORO

PORTO

diferentes expressões

7 JUNHO – 7 JULHO

A abertura será no dia 7 de Junho às 20.00h.

Nelson Isidoro nasceu e vive no Porto. Profissionalmente esta ligado aos transportes internacionais. O gosto pela arte criativa levou-o a frequentar os cursos livres de pintura na Cooperativa Árvore com mestre Alberto Péssimo. Participa regularmente em exposições coletivas.

Macaréu – Associação Cultural

MANUEL MALHEIRO

Dois Projectos

Exposição

3 Maio – 2 Junho

A abertura será no dia 3 de Maio às 19h.

Manuel Malheiro é natural de Monção e trabalha no Porto.

O artista possui o Curso Superior de Desenho e o Mestrado em Artes Visuais e Intermédia da Escola Superior Artística do Porto (ESAP), onde foi professor. Foi assistente do Professor Sá Nogueira na Escola Superior Gallaecia, em Vila Nova de Cerveira. Entre 1994 e 1998, leccionou no CLIP – Escola Internacional do Porto e no ensino oficial em Viana do Castelo.

Manuel Malheiro frequentou um estágio de Desenho na National Academy of Design School of Fine Arts of New York e actualmente leciona Artes Visuais no Curso Superior de Artes e Multimédia da Universidade ISMAI.

Participou em várias exposições individuais e coletivas, nacionais e internacionais, em Mónaco, Alemanha, França, Espanha e Portugal.

Oficinas na Macaréu

A Voz Humana de Jean Cocteau

As experiências de Cocteau com a voz humana tiveram o seu apogeu na peça de teatro A voz humana. Nela, uma mulher, só em palco, fala ao telefone com o seu (invisível e inaudível) amante perdido, que a deixou para casar com outra mulher.

Estreia em Abril, se tudo correr como o desejado.

Esperamos ver-vos a tod@s na plateia da Macaréu – Associação Cultural o mais brevemente possível.

O Clube de Teatro da Macaréu encontra-se de momento em trabalho on-line fazendo leituras da peça As Espingardas da Senhora Carrar de Bertolt Brecht.

O espectáculo tem estreia marcada para Maio de 2021.

Na esperança de podermos voltar em breve ao teatro de bolso da Macaréu, desejamos que todos se encontrem em segurança.

Clube de Teatro da Macaréu

No dia 12 de Janeiro de 2021 terá início o Clube de Teatro da Macaréu. Todas as semanas entre as 18:30h e as 20:00h no teatro de bolso da Macaréu, e durante 3 meses, os participantes do clube terão a oportunidade de explorar jogos dramáticos, técnicas de interpretação, trabalho de corpo e voz. O clube irá apresentar no final do percurso um espetáculo aberto ao público.
Serão tomadas todas as medidas de segurança e higiene no decorrer das sessões.

O clube será conduzido por Emanuel Rodrigues, licenciado em Teatro e Educação e que foi colaborador do Instituto Camões de Praga, The Bear Educational Theatre, Teatro Aberto, coordenador da plataforma Círculo de Giz e que encenou em parceria com a Macaréu o espectáculo Migrantes e Mulheres de Lorca.

Info e reservas: macareu.porto@gmail.com 

19-23 Dezembro

Macaréu – Associação cultural recebe:

Workshop de teatro para jovens dos 13 aos 15 anos de idade

Formador: Tomás Seruca Bravo

Horário das sessões:

Dia 19/12: 9h às 13h (saída um pouco mais cedo, para respeitar o recolher obrigatório)

Dia 20/12: 9h às 13h (saída um pouco mais cedo, para respeitar o recolher obrigatório)

Dia 21/12: das 10h às 13h e das 14h às 17h30


Dia 22/12: das 10h às 13h e das 14h às 17h30

Dia 23/12: das 10h às 13h e das 14h às 17h30

7 e 14.10

Das 15.00h às 19.30h

Macaréu – Associação cultural recebe:

Oficina de escrita criativa, com Renata Portas

Fechemos os olhos e imaginemos o universo como a imensa biblioteca sonhada por Borges.
Sem espaço e tempo, movemo-nos num universo ficcional onde as nossas ações são cópia e extensão, das anteriores.
Ler e escrever, são gestos complementares- o cérebro imagina o papel, a mão escreve na folha, a folha reproduz-se em outras folhas, cada palavra engendra a outra.
Tentemos, neste curto espaço-tempo, engravidar de palavras, algumas folhas, e plantá-las em bocas de (imaginários) leitores.

A oficina de escrita destina-se a curiosos, que tenham (ou não)experiência prévia,com exercícios,leituras e discussão em grupo de modo a desenvolver a escrita de cada um.

Renata Portas

Encenadora, actriz, dramaturga. Directora artística da Público Reservado, companhia teatral fundada em 2013.Trabalha e vive no Porto.Concluiu em 2003 o curso de Interpretação no Balleteatro Escola Profissional e frequentou o curso de Mestrado em Encenação na Escola Superior de Teatro e Cinema.Pós- Graduação em Arte Contemporânea, na Escola Superior Artística do Porto(2015/16) Estreou profissionalmente como assistente de encenação de Jean- Pierre Sarrazac, no espectáculo “ Cantiga para JÁ”, co- produção Companhia Teatro de Braga, Centro Dramático Galego e Coimbra 2003.

Encenou peças e textos de autores como Valère Novarina, Heiner Müller, Jean- Luc Lagarce, Pedro Eiras, Juan Mayorga, Carlos J. Pessoa, Franz Kafka, Peter Handke, Luis Maffei, Jean Anouilh, Pirandello, entre outros.
Dos seus textos dramáticos destaquem-se os seguintes: Interlúdio e Câmara- Inferno
( editado pela Companhia das Ilhas) Finisterra (edições Tnsj) e A Boca de Telémaco é a fortuna da casa (inédito). Em 2020,escreve Pimenta na Língua,um livro de contos eróticos, com ilustrações de Susana Bravo, edição de artista.

Trabalha como formadora de dramaturgia e escrita desde 2011.
Teve formação de escrita/dramaturgia com : Raimondo Cortese, Jean-Pierre Sarrazac, Luís Mestre, Jorge Louraço Figueira, Juan Mayorga, Lola Arias, entre outros.

Horário:sábado

Preço: 45 euros por pessoa.

Desconto de 5% para sócios da Macaréu, estudantes,sócios da Público Reservado.

Mínimo: 3 pessoas


Máximo: 9 pessoas

Idades: a partir dos 15 anos.

Material: caderno e ou pc.


Curso intensivo. 15-19h.30,dias 07 e 14 de Novembro


Formadora: Renata Portas


Organização: Renata Portas/ Público Reservado


Macaréu- Associação Cultural

Inscrições e informações:publicoreservado@gmail.com


As inscrições devem ser confirmadas através de transferência bancária, após e-mail de interesse.

Movimento & Expressão

Cristina Novo

Aulas semanais

PT
De sentido inclusivo, estas aulas servem toda a população, pretendendo contribuir para a descoberta contínua de diferentes conteúdos de movimento e variadas formas de expressão corporal, no sentido de trabalhar a autoconsciência física, abordando diferentes ritmos, vários estilos de dança e posturas.
Composta de duas vertentes: improviso – criatividade/ coreografia – concentração, esta aula integra técnicas de autoconsciência, expressão, improvisação e relaxamento, promovendo questões de índole psico-emocional; e promove questões físicas que vão do ritmo e musicalidade, à coordenação e agilidade, às noções de respiração e movimento, com a integração gradual de exercícios sistematizados e coreográficos participativos.

NOTA ADICIONAL |
No cumprimento das regras em contexto Covid-19, há uma limitação máxima de 5 alunos por turma, para além do cumprimento de regras sanitárias indicadas pela Macaréu – Associação Cultural.

INSCRIÇÃO PRÉVIA.

EN
Based on an inclusive sense, these classes serve the whole population, aiming to contribute to the continuous discovery of different contents of movement and various forms of body expression, working on physical self-awareness, addressing different rhythms, various dance styles and postures.
These classes integrates techniques of self-awareness, improvisation and relaxation, promoting psycho-emotional issues; also promotes physical issues ranging from rhythm to musicality, to coordination and agility, to the notions of breathing and movement, with the gradual integration of participatory systematized and choreographic exercises.

ADDITIONAL INFO:In compliance with the rules of Covid-19 context, there is a maximum limitation of 5 students per class, in addition to compliance with the health rules indicated by Macaréu – Associação Cultural.

PRIOR REGISTRATION.

22 de Fevereiro, 10:30-12:30

UMBILICAL

Porque brincamos cada vez menos, porque exploramos cada vez menos, porque prestamos cada vez menos atenção e porque podemos interagir mais, olhando as nossas próprias crianças (filhos ou netos) de um outro modo, num ambiente diferente, lúdico, dramático e divertido. Porque os adultos (pais ou avós) podem partilhar com os filhos ou netos uma experiência lúdica (não-formal) e olhá-los com outros olhos e de outro modo.

Como?

Através de jogos dramáticos, indutores, e desconstrução do corpo, do movimento, da palavra. Uma actividade divertida e diferente.

Valor adulto: 5€ ; Valor criança: 2,50€

Incrições até ao dia 16 de Fevereiro por email para macareu.porto@gmail.com ou 967480662

Público-alvo: adultos e crianças* entre os 6 e os 12 anos de idade

*as crianças poderão ser acompanhadas por um ou mais adultos.

Coordenação : Emanuel Rodrigues

Licenciou-se em Teatro e Educação e rumou à República Checa, onde foi professor de expressão dramática na Escola Britânica e Internacional de Praga e professor de técnica de Stanislavski. Colaborou com o Instituto Camões de Praga enquanto professor de teatro em projectos de promoção da língua portuguesa e de autores portugueses em língua checa como Gil Vicente e Fernando Pessoa.Foi actor da “The Bear Educational Theatre” (Marca Educativa da União Europeia 2004), com a qual participou em diversas digressões pela Europa central. Participou em séries de TV como “Borgia” e “Crossing Lines” do canal AXN, com o qual colaborou, com regularidade, fazendo dobragens em língua inglesa.Traduziu para língua inglesa e criou, em parceria com a autora Lívia Jappe, o espectáculo “Ruptura” a partir do livro “Cisão” da mesma autora (obra finalista do Prémio São Paulo de Literatura 2010) que estreou em Praga.Criou a plataforma “Círculo de Giz”, que hoje dirige, e que se pauta pelo trabalho de teatro e comunidade e por projectos educativos. Estreou-se como assistente de encenação e director de palco no Teatro Aberto no ano de 2016 no espectáculo “Ao vivo e em directo” de Raúl Malaquias Marques e com encenação de Fernando Heitor ao lado de Paulo Pires, Maria Emília Correia, entre outros. Em 2017 trabalhou como actor e assistente de cena no espectáculo “Toda a Cidade Ardia” a partir da obra poética de Alice Vieira com encenação de Marta Dias também no Teatro Aberto. No ano de 2018 coordenou para a divisão de cultura da Câmara Municipal da Figueira da Foz a 8a edição da Noite dos Esqueletos no Museu Municipal Santos Rocha e em 2019 o projecto SOPHIA.

Laboratório de Movimento e Expressão

Introdução

Espaço de laboratório onde a imaginação vira movimento e o corpo o instrumento de comunicação e expressão que explora as possibilidades criativas dentro de ritmos variados. Experimentar e explorar as infinitas possibilidades expressivas de forma espontânea. Um jogo e improviso criativo que desperta a consciência e sensibilidade física e emocional através de imagens criadas ao longo do processo. O caminho de encontro contigo próprio e com o outro de forma simples e autêntica. 

Objetivos

– Explorar diferentes qualidades e dinâmicas do movimento.

– Explorar as possibilidades de gestos e ritmos corporais.

– Aperfeiçoar o próprio movimento ajustando suas habilidades.

– Ampliar as possibilidades expressivas do próprio movimento.

– Desenvolver a imaginação, criatividade e autoconfiança.

– Desenvolver a motivação e transformar estados emocionais.

Condições

Dias: Todas as terças

Horário: Das 20:00 as 21:15h

Duração: 1:15h

Local: Macaréu – Associação Cultural. Rua João das Regras N.151 Porto.

Mensalidade: 25 euros

Público-alvo: Estudantes e público em geral

Orientadora: Inês Neiva

Contacto/inscrições: 938500299 ou 935968229

E-mail: neivaines@windowslive.com

Tai Ji Quan e Qi Gong Terapêuticos

Macaréu – Associação Cultural tem semanalmente sessões de Tai Chi e Qi Gong (mediante donativo consciente e solidário), às quartas-feiras, das 18.30h às 20.00h. Se pretende frequentar as sessões deverá inscrever-se, enviando seus dados para: macareu.porto@gmail.com

8.08-11.08

 AS ÁGUAS QUE TE MOVEM | WORKSHOP DE DANÇA

» Encontro Intensivo de Reconnect Dance | Porto, Sintra e São Miguel (Açores) «

Chi Dance, Contacto Improvisação e Ecologia Interior

com Pedro Paz


~ chi kung (prática energética), auto-massagem e alongamentos dinâmicos aplicados à dança, movimento livre,

autêntico e consciente, toque profundo, mantras e canções pela Paz ~

» aberto a toda a comunidade, com e sem experiência prévia em dança
» possibilidade de participação completa ou parcial
» as sessões de Chi Kung e as Roda de Mantras são abertas a quem quiser participar por donativo e sem compromisso com os workshops de dança.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Este Encontro abre a possibilidade de uma convivência fraterna enriquecida pela dança, pelo contacto e pelo canto. As nossas práticas são, fundamentalmente, inspirada nas Artes Energéticas de Saúde e Longevidade (Chi Kung), por isso, um trabalho orgânico, aberto a todos, sem limite de condição física.
De forma muito natural, imergimos numa pesquisa simultaneamente profunda e divertida, que nos leva à redescoberta do nosso corpo interactivo, livre e fluido…

As Água que Te Movem, são as mesmas dos oceanos, dos rios e dos lagos, das chuvas, das nuvens e dos ventos..
És essencialmente Água.
…e é a Água que te move.

Flui…

Cantar, assim como dançar, faz vibrar as Águas do Corpo. Estas reequilibram-se homeostaticamente* em cada célula.. E este reconhecimento é profundamente transformador.

PORTO – Macaréu Associação Cultural 8 a 11 de Agosto

~~~PROGRAMA~~~ Porto, Sintra e Açores

~ quinta-feira, dia 8 (entrada livre)


19h – Roda de Mantras e de Canções pela Paz


20h > 22h – Sessão de Apresentação do Encontro e Welcome JAM

~ sexta-feira, dia 9

19h –  RECONNECT DANCE & Contacto Improvisação (sessão síntese)

21h > 22h – JAM com música ao vivo

~ sábado, dia 10

 > 11h30 – Chi Kung e Roda de Mantras e de Canções pela Paz (entrada livre)


12h > 14h – Corpo de Água, despertando as partes para o Todo, pulsação e elasticidade fluida
(almoço)


15h30 > 17h30 – Corpo Paisagem, contacto e improvisação, escuta e sensorialidade, toque e gravidade partilhada (lanche)


18h > 20h – JAM, cocriação espontânea em tempo real
(ceia)

domingo, dia 11


10h > 11h30 – Chi Kung e Roda de Mantras e de Canções pela Paz (entrada livre)

 12h > 14h – Corpo Cardume, dinâmicas de interação grupal, contacto energético (almoço)


15h30 > 17h30 – Trabalho Exterior em Jardim
(lanche)


18h > 20h – JAM FINAL, cocriação espontânea em tempo real

“Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.

Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.

Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive”


Ricardo Reis, in “Odes”
(Fernando Pessoa)

28.07, 16-20h

Oficina de Japonês

Macaréu – Associação Cultural vai receber no seu espaço uma oficina de Japonês, orientada por Inês Rocha Silva.

Uma introdução à língua e à cultura do país do sol nascente. Deixe-se levar pelo mundo dos samurais, do respeito pelos mais velhos, da cultura do chá, dos robôs, dos origamis, dos desenhos animados, da caligrafia, do sushi, das gueixas. Segue-se uma breve aprendizagem da língua e cultura japonesas, tão diferente da nossa, tanto pelo sistema de escrita, como pela sonoridade, e pelas regras de educação.

5€ contribuição

Contactos e mais info:

aulasjapones@gmail.com

http://www.facebook.com/cursosjaponesporto

25, 26, 27 e 28.07, 16-20h

Oficina Met-Amorphosis

Macaréu – Associação Cultural vai receber no seu espaço uma oficina de criação de figurinos e adereços com técnica plástica, maquilhagem teatral/metamorfose, orientada por Marta Faria.

Workshop Met-Amorphosis

|Criação de figurinos e adereços com técnica plástica | Maquilhagem teatral/ metamorfose

Objectivo:

Os participantes desenvolvem previamente uma proposta de criação de personagem para teatro, performance, estátua viva, circo, contador de histórias, animação etc.

A partir do projecto criado individual prepara-se a roupa: calças, saias, vestidos casacos; acessórios: chapéus, perucas, luvas, sapatos e adereços: utensílios variados para aplicar tratamento plástico com técnicas de pintura decorativa usando tinta acrílica e látex. Abordagem de técnicas e material de maquilhagem teatral/ metamorfose corporal.

Material e utensílios disponíveis:

.Tintas acrílicas .Látex
. Velcros
. Linhas e agulhas .Molas

.Trinchas e pincéis
. Luvas
. Cola quente
. Cola para madeira
.Tintas de maquilhagem à base de água . Esponjas

Equipamento necessário:

. Mesas e cadeiras
. Ter onde pendurar a roupa enquanto se pinta
. Manequins ou Charriot
. Corda de estender roupa, cabides
. Local com água para lavar utensílios de pintura . Local para deixar os figurinos e adereços a secar

*Nota:

Os participantes deverão trazer os seus adereços e vestuário para transformar/pintar.

Ter em atenção que a roupa ao ser pintada normalmente encolhe, escolher tamanho acima do seu e os materiais serem de preferência com pouca elasticidade.

Trazer avental ou bata.

Duração: 16 Horas;
4 blocos de 4 horas cada

Valor: 100

Máximo: 12 participantes


Formadora: Marta Faria


Inscrições e contactos: metamorphosis.martafaria@gmail.com

Telemóvel: 910660585

https://metamorphosismarta.wixsite.com/met-amor

20.07, 15-18h

Macaréu – Associação Cultural vai receber no seu espaço uma mini-oficina de Risoterapia, orientada por Inês Neiva, e inserida no Mini Festival do Riso (20-21 de Julho na Macaréu).

RISOTERAPIA/ YOGA DO RISO MINI WORKSHOP

Introdução…

A Risoterapia/ Yoga do Riso procura recuperar no universo da infância a condição de espontaneidade em que vive a criança. Esta terapia, ao instaurar o contato entre o adulto e sua criança interior, procura justamente alcançar este estado de constante busca do novo, da aprendizagem, da prosperidade emocional. O riso envia ao cérebro um comando, por meio do hipotálamo, para que ele produza um grupo de substâncias conhecidas como endorfinas, mais especificamente as betas endorfinas. Este grupo de substâncias são elaboradas quando as pessoas estão bem-humoradas e detêm um potencial analgésico semelhante a morfina, porém, com potencial cem vezes mais ampliado. O aparecimento desta corrente de endorfinas traz ao organismo um estado de libertação das tensões, um sentimento de tranquilidade orgânica, psíquica e emocional.

Mini Workshop de Risoterapia/Yoga do Riso…

Durante 3 horas os participantes irão usufruir de um mini workshop de Risoterapia/Yoga do Riso que consiste em exercícios do riso, exercícios de respiração, movimento, gestos, dança, sons improvisados, música, adereços e objetos. Uma experiência com profundas transformações a nível físico, mental, emocional, social e espiritual.

Alguns Benefícios da Risoterapia/Yoga do Riso…

Físicos…

– Aumenta os níveis de oxigénio no corpo.
- Ajuda a emagrecer e a fortalecer a musculatura.
- Previne o cancro devido á oxigenação das células do corpo. – Facilita a digestão.
- Aperfeiçoa o sistema cardiovascular e respiratório.
- Melhora o sistema imunitário e aumenta a resistência física. – Relaxamento total e sensação de bem-estar. – Ajuda na segregação de endorfinas (hormona do bem-estar), serotonina (antidepressivo- natural) e estimulação do hipotálamo.

Psicológicos…

– Aumenta a capacidade de memorização e produtividade.
- Aumenta a autoestima, imaginação, criatividade, motivação, autoconfiança. – Previne e transforma estados depressivos.
- Aumenta a resistência ao stress, ansiedade e ataques de pânico.
- Aumenta a energia geral do corpo.
- Transforma emoções como: raiva, medo, ciúmes e tristeza em emoções Positivas como: amor, amizade, perdão e compaixão.

Sociais…

– Melhora a comunicação em geral.
- Melhora as relações interpessoais
- Maior desempenho, qualidade e equilíbrio entre a vida pessoal e profissional – Desenvolvimento da” focalização “: análise mais objetiva, pratica e produtiva. – Valoriza os sentimentos: amor, paz, partilha e espiritualidade através do riso. – Respeita o ser humano e valoriza a natureza.

Condições…

Dia: 21 de julho


Horário: das 15h às 18h


Custo: 20 e por participante

Duração: 3 horas


Público-alvo: Todas as idades.

Orientadora: Inês Neiva.

Contacto-inscrição : 938500299

Facebook: https://www.facebook.com/rirparacurar

Inês Neiva à mais de 20 anos que faz os circuitos europeus de animação, passou mascarada pela televisão e andou em digressão pelas salas e ruas com o espectáculo “Electrotoy” que além da itinerancia venceu vários prémios, incluindo em 2006 o 3-lugar durante a primeira edição do Festival Nacional de Animação de Rua da Póvoa de Varzim. Fez o Curso Profissional de Teatro pelo Balleteatro e estágiou na Académie Européenne de Théatre Corporel, em França. Fez formação de palhaço com Gabriel Chame Buendia, André Riot-Sarcey, André Braga, Pepe Nunes, Sílvia Leblon, Karla Concá, Gabi Winter, Patrice Collona D’istria, entre muitos outros e é certificada em Risoterapia \Yoga do Riso que lecciona há 4 anos. 

13.07, 18.00-20.00h

Folias polifónicas (2)

Nesta sessão a proposta é uma exploração e desenvolvimento das nossas capacidades de exprimir a nossa voz, em conjunto e individualmente!

Como?

Iniciamos a sessão com uns aquecimentos corporais que nos abrem os canais sonoros!

Adicionamos alguns exercícios vocais para ter maior perceção:
1.. Das diferentes formas de fazer sons
* Com a voz, os feitios bocais e os da língua…
2. Os Movimentos do som pelas diferentes partes do corpo
* Levar o som para diferentes pontos ressonantes…
** Incluindo o aperfeiçoamento e/ou desenvolvimento dos “overtones”

Exploramos possibilidades musicais por meio de sonorizações guiadas… com:
3. Melodias
4. Ritmos
5. Improvisos
6. O cantar circular e polifónico

7. Formas de acionar diferentes sonidos
8. O conforto, amplitude e dinâmica ao cantar…

Desenvolvemos o que exploramos até aqui, dentro ou fora da sessão… incluindo:
9. Momentos para cada pessoa guiar o grupo, se tiver esse impulso…
10. Improviso livre…
* Em alguns momentos palavras, frases e canções espontâneas podem acontecer!

Anda se te apetecer!…
Encontra-te no mesmo som em que te poderias perder…
e daqui… Criamos! Ressonâncias amplificadas pelo conjunto!

Participação por donativo livre

8.06, 10.00-12.30h

Técnicas e projecção de voz

Mário Ferreira

Será uma oportunidade para profissionais que trabalham com a sua voz como instrumento e com grandes audiências. Para professores no geral, oradores, comunicadores, animadores – por ex instrutores de yôga que usam os mantas como parte das suas práticas – cantores, etc. Ou simplesmente para quem quiser trabalhar e descobrir a sua voz. Trabalhar-se-á a projecção e aspectos da voz cantada, abordando a saúde vocal.

Mário Ferreira, natural do Porto, tirou o curso de Viola Dedilhada e Canto no Conservatório de Música do Porto/CMSM. È licenciado e mestrado em Ensino de Musica no Ensino Básico por ESEP (Escola Superior de Educação do Porto). Participou como tenor nas Óperas: Bastien und Bastienne (Mozart), Lo Speziale (Haydn), Il professore di Música (Pergolese), Flauta Mágica (Mozart) como Monostatos, Brundibar, etc. Lecciona as desciplinas de canto e Guitarra. Maestro do Canto da Macaréu

Para mais informações e inscrições:
macareu.porto@gmail.com
Mário Ferreira 933 135 993

[Possibilidade de almoço mediante reserva]

23, 27 e 28 de Maio, 19.00-22.30h

Oficina Visão Intuitiva


“Tem a coragem de seguir o teu coração e intuição. Eles de alguma forma já sabem o que verdadeiramente tu te queres tornar.”
Steve Jobs (2005) 

A intuição é aquele sentido que nos ajuda a conectar com a nossa sabedoria interior, a conhecer a nossa verdade, a direção que devemos seguir, a distinguir em quem devemos ou não confiar, a relembrar e ativar o nosso propósito de vida.

 Ela é aquela que nos dá os melhores insights, ideias, descobertas, ligações a uma tal velocidade que a mente não é capaz de compreender e tende a sabotar. Enquanto a primeira fala subtil e carinhosamente baixinho, a outra, a mente, berra e assusta-nos com maquinações, “se’s”, medos, avisos e pessimismo. Como queremos viver?

 Neste Seminário são partilhados os princípios do método da visão intuitiva e realizados inúmeros exercícios práticos para despertar e treinar a intuição. São 3 dias de contacto com o método “visão intuitiva” (ver de olhos vendados) inspirado no trabalho do Dr. Boris Zolotov.

É para quem quer ir além e desenvolver a sua intuição até possibilidades inimagináveis. Explora-se o seu potencial e activam-se os seus canais de luz para que possa aceder a um nível de maior compreensão de si e do mundo, harmonia e realização dos seus desejos.

Evento aberto a Crianças.

18 de Maio, 14-18h

TU e a TERRA

Oficina pluridisciplinar (ciência e arte), para crianças dos 5 aos 9 anos de idade,  sobre a importância do Ambiente

Inscrições até 11 de Maio em: macareu.porto@gmail.com

(contributo consciente e solidário)

Ficha de inscrição

Nome: ……………………………………………………………………………………………………………..

Idade: ……………………………..

Cuidados especiais (alergias, restrições alimentares e/ou físicas, medicamentos…): …………………………………………………………………………………………….

Encarregada(o) de educação: ……………………………………………………………………………..

Contacto: …………………………………………………………………………………………………………

Nome e contacto de quem virá buscar a criança: ……………………………………………………………………………………………………………………….

Autorização de imagem e som para eventual divulgação: ………………………………………

Notas: Trazer bata (ou avental) e roupa e calçado confortáveis. Podem trazer estojo escolar.

             Merenda no final da actividade.

____________________________________________________________

Oficinas de Páscoa para crianças na Macaréu | multidisciplinar

[Yôga. Cerâmica. Expressão plástica.  Jardinagem. Expressão corporal. Culinária. Música] 

De 15 a 19 de Abril | 14h às 18h

Faixa etária – 6 aos 12 anos 

Começamos cada dia com uma prática de yôga e aprendemos a respirar, para nos descontrair, concentrar e dar início às outras actividades – uma diferente por dia.

Será feita uma pausa para merendar e socializar….Seguimos para a sala do piano, também cada dia, para aprender uma canção, que será apresentada na festinha final aos educadores | Visita guiada à exposição das experiências realizadas nas várias actividades, acompanhado de merenda feita na oficina de culinária. 

Para mais informações | 935 968 229 / 933 135 993

Para programa detalhado e inscrições, contactar: macareu.porto@gmail.com 

Macaréu | associação cultural – Rua João das Regras, 151 – Porto

Materiais estão incluídos |Trazer: fato de treino, meias e calçado práticos. bata, ou avental, ou camisola  larga. Se preferir o estojo da escola. Merenda  

—————————-

Mário Ferreira, natural do Porto. Tirou o curso de Canto e Guitarra no conservatório | CMSM. Licenciatura e Mestrado no Curso – Ensino de música no Ensino Básico na ESEP/ IPP.  Professor de guitarra e canto. Maestro do coro – Canto da Macaréu

Marisa Alves, natural de Valbom – Gondomar, seguiu Artes visuais na Escola Artística Soares dos Reis – Porto. Frequentou o Curso de Artes na ESAD – Matosinhos. Pintura em azulejo, murais cerâmicos, e design no CEART – Coimbra.Rakú/”naked” no CENCAL – Caldas da Rainha Diversas formações na escola de cerâmica de La Bisbal – Catalunha, nomeadamente, investigação de vidrados de alta temperatura, murais em diferentes materisis e escultura monumental maciça. Ceramista, praticante de yôga desde 99. Tem um projecto de alimentação saudável – coisas doces com stévia – com Mário Ferreira. É ecologista por convicção, sendo o seu meio de transporte diário a bicicleta. 

Oficinas de Teatro na Macaréu

Alteração: A oficina tem nova data e será no dia 30 de Abril das 19h às 21h. Link para inscrição abaixo. Funcionará por donativo consciente!

“Somos todos atores, até mesmo os atores! O teatro é algo que existe dentro de cada ser humano, e pode ser praticado na solidão de um elevador ou em praça pública para milhares de espectadores.” Augusto Boal

A Macaréu – Associação Cultural abre de novo as suas portas às oficinas de Teatro Macaréu. Estas oficinas serão um espaço de expressão, de exploração do corpo e do contacto com o outro. Faremos jogos dramáticos e de improvisação, coordenação e escuta, sempre num ambiente descontraído e de partilha em grupo. Assim, convidamo-vos a trazer roupa confortável (e meias, vamos trabalhar sem sapatos!), boa disposição e vir experimentar! Vamos brincar com o que é dito e não dito e deixar-nos cativar pelo jogo dramático.

As oficinas são facilitadas por Isabel Martinez, atriz formada em Teatro pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo. Actualmente frequenta o Mestrado em Interpretação e Direcção Artística na mesma escola, é formadora de jovens e procura, no seu trabalho, estabelecer uma ligação entre o Teatro e a Educação Não-Formal.

Data da próxima oficina: terça-feira, 30 de Abril das 19h às 21h
Contribuição: donativo consciente
Formulário de inscrição: https://forms.gle/zHXYpNZiwGwwz2dV9

Programa

24.07

Às 20.30h

Jantar-Concerto no jardim da Macaréu com Spirit Catcher

Spirit Catcher é um projeto de música do mundo, dinâmico e em permanente mutação. Entre o rock, jazz, eletrónica e música do mundo os Spirit Catcher transportam-nos para um mundo melódico ao mesmo tempo espiritual, sombrio e delicado.  Para este concerto os Spirit Catcher contarão com a voz etérea e delicada da cantora e pianista Anna Desandes (França), com o guitarrista e compositor Miguel Proença e outros músicos convidados.

Spirit Catcher is a dynamic world music project, in permanent mutation, navigating through jazz, rock and eletronics. Spirit Catcher takes us into a melodic world at the same time spiritual, delicate and dark. For this concert, the Spirit Catcher will have the privilege of the ethereal and delicate voice of the singer and pianist Anna Desandes (France), the guitar player and composer Miguel Proença (Portugal) and other guest musicians.

10.07

Às 19.00h

Recital lírico com o Tenor Mário Ferreira, acompanhado ao piano por Isabel Lebreiro, apresenta a canção italiana de PAOLO FRANCESCO TOSTI.

Este foi o grande compositor da Belle Epoque sendo a referência em Itália e Inglaterra, no final do séc XIX.

RECITAL – 10 macaréus 

JANTAR – 7.5 macaréus 

Lotação limitada.

Obrigatório reservas para:

macareu.porto@gmail.com

24, 25 e 26 de Junho

Às 21.30h

27 de Junho

Às 16.30h

As Espingardas da Senhora Carrar, de Bertolt Brecht, pelo Clube de Teatro da Macaréu – Associação Cultural

Durante a Guerra Civil Espanhola uma mãe tenta a todo o custo impedir que os seus dois filhos sigam para a guerra. Decidida a evitar o derramamento de sangue e a esconder as espingardas do falecido marido, a Senhora Carrar depara-se com a dificuldade de se manter neutra, num campo de batalha que se cria também na sua própria casa.
Considerada uma das obras mais dramáticas do autor e um clássico da dramaturgia mundial, nela Brecht trata da luta dos povos em defesa da democracia contra o fascismo.

Encenação: Emanuel Rodrigues


Elenco: Carolina Coelho, Helmar, Isabel Menezes, Mário Ferreira, Olga Ferreira, Olga Noronha, Patrícia Santos

Voz do General: António Natário


Música: João Teixeira


Vídeo: Amaya Espinoza


Guarda-roupa: Megan Sharkey

Agradecimentos: Rainha dos Milagres, CSPNSV – Centro Social Paroquial Nossa Sra da Vitória

24, 25 e 26 de Junho, 21:30 27 de Junho, 16:30

Bilhetes: 7,50 macaréus


Info e reservas: macareu.porto@gmail.com ou 910123438

19.06

Às 17.30h

Ar Evento, Associação Cultural, apresenta na Macaréu uma

Sessão de cinema: “O Papagaio de papel Azul”

Sinopse

THE BLUE KITE, de Tian Zhuangzhuang, é o mais aclamado e controverso de todos os filmes saídos do novo cinema chinês. A China é um país em transformação durante a infância e a adolescência de Tietou, o que altera as condições do seu passado histórico.  O filme traça o destino de uma família de Pequim e dos seus vizinhos, à medida que se vão sentindo as convulsões políticas e sociais nas décadas de 1950 e 60, que culminam com a Revolução Cultural na China.

A única imagem de esperança e liberdade que o filme nos oferece é um papagaio de papel azul dado a Tietou pelo seu pai, que mais tarde ele irá passar à geração seguinte.

Papagaio de Papel Azul é um comovente filme integrante da coleção da Associação Ar Evento.

Filme: O papagaio de papel azul, 1993

Realização: Tian Zhuangzhuang

Origem: China

Categoria: DRAMA

Duração:138M

M/12

Estreou em 1994

Fantasporto leg. Português, cinema do Terço, 1998

Haverá também uma mostra de papagaios na Macaréu.

11.06

Às 20.30h

Concerto com Vladimir Omeltchenko (piano) e Slawomir Marzec (contrabaixo).

O Duo de Violino e Contrabaixo interpretará Duos de Mozart e Beethoven. 

5.06

Às 20.00h

Jantar-concerto com o duo SAKABOUF

(o evento poderá acontecer no jardim se o tempo o permitir)



SAKABOUF é um duo formado por Oriane Ruppli (França, Guitarra e Voz) e Miguel Proença (Portugal, Piano e Guitarra). Suportada pela etérea voz de Oriane, a música dos Sakabouf, navegando entre o jazz e o pop, transporta-nos para um mundo melódico ao mesmo tempo espiritual, poético e delicado. Neste espetáculo o duo apresentará algumas versões de clássicos da música francesa e americana, mas sobretudo temas originais.

SAKABOUF is a duo composed of Oriane Ruppli (France) and Miguel Proença (Portugal). Supported on the ethereal voice of Oriane the duo’s sound, cruising along jazz and pop music, brings us to a spiritual, poetic and delicate world. In this show the duo will present some versions of French and American classics but mostly original themes.

O bar/petiscaria abre para o jantar concerto – 10 macaréus – reservas por MP ou para 933135993

27, 28, 29 Maio

Às 20.00h

A Chegada é um espectáculo bilingue que assinala o fim do Clube de Teatro do Porto Theatre Forum.

Um espectáculo baseado nas experiências de vários estrangeiros a residir no Porto e no seu entendimento da vida em Portugal. 

The Arrival is a bilingual show and the final showcase of Porto Theatre Forum – Drama Club. 

A show based on the experiences of several foreigners residing in Porto and their understanding of life in Portugal. 

Encenador – Director: Emanuel Rodrigues  

Elenco – Cast: Francesca Wallace, Gab Mendez, Karoline Jankowski, Maria Avallone, Maria Carbunaru, Megan Sharkey, Nicholas Spagnoletti, Samuel Weihrauch, Susana Maia

Cartaz – Poster: Maria Avallone

Design gráfico – Graphic design – Suana Maia 

Bilhetes – Tickets – 5 macaréus. 

Informação e reservas – Info and reservation: portotheatreforum@gmail.com

22.05

Às 21.00h

Concerto do Duo Chérubin

Chérubin é um duo formado por Oriane Ruppli (França) e Miguel Proença (Portugal). Suportada pela etérea voz de Oriane, a música dos Chérubin, navegando entre o jazz e eletrónica, transporta-nos para um mundo melódico ao mesmo tempo espiritual, sombrio e delicado. Neste espetáculo o duo apresentará algumas versões de clássicos mas sobretudo temas originais. Contará também com a participação especial de vários músicos convidados da área do jazz e eletrónica psicadélica.

Chérubin is a duo composed of Oriane Ruppli (France) and Miguel Proença (Portugal). Supported on the ethereal voice of Oriane the duo’s sound, cruising along jazz and eletronic music, brings us to a spiritual, dark but delicate world. In this show the duo will present some versions of classics but mostly original themes (performed for the first time). The show will also have the special participation of some guest jazz and psychadelic rock musicians.

15.05

Às 20.30h

Macaréu recebe Ar Evento, Associação Cultural com o evento Papagaios com Alma.

Sinopse

Tudo começou com um poema inspirador, na pequena cidade italiana de Urbino, num evento que consistiu em largada e exposição de papagaios, construídos nos diversos bairros desta cidade.

Durante 20 anos, em muitos e diferentes episódios, o papagaio, objeto frágil e titubeante, tem testemunhado vitalidade e resiliência estando ao lado das minorias, dado o seu caráter livre, vibrante, independente, ecológico e social.

Um dos objetivos da Associação Cultural Ar Evento será manter/ criar uma tradição nas nossas praias, usando as nortadas como meio de revelação da utopia de Bartolomeu de Gusmão – voar – e de uma maravilhosa história de amor entre Baltazar e Blimunda.

O projeto é dedicado a todos os que estão em dificuldade e lutam contra o vento como sucede aos papagaios de papel.

Ao longo dos anos, a coleção de Papagaios com Alma da Associação Ar Evento foi-se agigantando e transportando pelos ares, com ou sem vento, valores como a Liberdade, os Direitos Humanos, a Escrita.

Programa

20h30 – 1. Abertura

20h40 – 2. Apresentação – Utopia, forma e cor.

“O papagaio na História da Arte” e Associação Cultural Ar Evento e o projeto “Papagaios com Alma” – Isabel Andrade Silva e Fátima Matos.

21h30 – 3. Observação de objetos tridimensionais e conversa fiada na meada do papagaio.

21h40 – 5. Divulgação de uma futura exposição – na Macaréu – de Papagaios com Alma – Voo da liberdade.

21h45 – 6. Fechar portas e abrir asas à imaginação.

7, 8 e 9 de Maio

7 de Maio: 19:30

8 de Maio: 19:30

9 de Maio: 16:00

Teatro: “Para não morrer assim, à vista de um sol assim.”

O espectáculo conta a história de uma mulher que procura durante toda a narrativa encontrar forma de não perder a sua identidade. 

A acção avança lado a lado com a necessidade da personagem de não ser esquecida como se de um grito se tratasse. Um rádio, um pássaro, um livro, um telefone, uma lista telefónica, um filho que não aparece. Estes são alguns dos elementos e características do discurso e da linguagem que materializam o universo interior e a circunstância em que se encontra a personagem.

O espectáculo foi construído a partir de factos e relatos sobre a solidão geriátrica.

Encenação: Emanuel Rodrigues

Interpretação: Helena Freitas

Cenografia: Natércia Franco

Figurino: Megan Sharkey 

Desenho de luz: Rui Azevedo

Vídeo: Hugo Valter Mourinho

Apoio à construção cenográfica: David Santos, Bruno Vale e Virgínia Rodrigues 

Apoio à produção: Apuro – Associação Cultural e Filantrópica

Parceria: Associação Coração Amarelo

Agradecimentos: Teatro Universitário do Porto, Pé de Vento, Helena Granja, Olga Leite, Áurea Serra, Rosa Araújo, Francisca Correia e José Alves

7 de Maio: 19:30

8 de Maio: 11:00

9 de Maio: 11:00

Bilhetes: 7,50€

Reservas: solidaoprojecto@gmail.com

Lotação limitada a 20 lugares de acordo com as normas impostas pela Direção Geral da Saúde.

Reabertura

Iniciada a terceira fase de desconfinamento, Macaréu – associação cultural reabre a sua porta ao público.

Nas próximas semanas, além de algumas actividades regulares semanais tais como as aulas de Movimento e Expressão e a Cicloficina do Porto, teremos a abertura a 30 de Abril, às 18.30 horas, de uma nova exposição de pintura e desenho de Elsa Melo.

Em Maio teremos a representação de duas peças de teatro (Para não morrer assim, à vista de um sol assim e The arrival/A chegada), a celebração da Associação Cultural Ar Evento com a apresentação de uma colecção de papagaios de papel e um concerto do Duo Chérubin – Sound for the New Age.

Desejando que a nossa porta possa continuar aberta,  vamos progressivamente anunciando na nossa página e no FB as várias actividades que forem (re)surgindo após este interregno forçado.

25 de Abril

O Dia da Liberdade

José Jorge Letria

Este dia é um canteiro

com flores todo o ano

e veleiros lá ao largo

navegando a todo o pano.

E assim se lembra outro dia febril

que em tempos mudou a história

numa madrugada de Abril,

quando os meninos de hoje

ainda não tinham nascido

e a nossa liberdade

era um fruto prometido,

tantas vezes proibido,

que tinha o sabor secreto

da esperança e do afeto

e dos amigos todos juntos

debaixo do mesmo teto.

27.03.21

Dia Internacional do Teatro

Falar sobre a importância do Teatro é sempre difícil por dois motivos: o primeiro porque tecer considerações sobre uma arte com séculos de história é um exercício difícil e o segundo porque muito do que torna o Teatro especial na sua essência não é fácil de descrever. García Lorca disse que “O Teatro é poesia que sai do livro e se faz Humana” e é com este pensamento que julgo ser importante desenvolver a arte teatral.O Teatro é um bonito, importante e especial lugar de encontros. O encontro entre os seus fazedores na busca de novos entendimentos da vida, de novas narrativas, de perspetivas diferentes do ser humano e de novas reflexões e o encontro primordial que dá sentido ao fazer teatral, a partilha com o público nesse momento tão especial, tão sagrado, que é o momento do espectáculo de teatro.

Urge, e especialmente num momento tão conturbado, partilhar, reflectir e procurar novos caminhos tornando a comunhão entre criadores e público mais rica e mais vital, dando mais sentido ao quotidiano de cada um.

Gostaria de agradecer à Macaréu – Associação Cultural o ter-me aberto a porta para poder sonhar, reflectir e contar novas histórias.

O Clube de Teatro da Macaréu irá estrear em Maio “As Espingardas da Senhora Carrar” de Bertolt Brecht, acolher o espectáculo “Para não morrer assim, à vista de um sol assim” – Projecto Solidão, apresentar o primeiro espectáculo do projecto Porto Theatre Forum – Drama Club intitulado “A Chegada/The Arrival” e, por fim, a estreia de “A Voz Humana” de Jean Cocteau.


Emanuel Rodrigues

Fotografia de Clara Pimenta do Vale

21.03

Hoje, dia 21 de Março, comemora-se o Dia Mundial da Poesia, da Árvore ou da Floresta, o Dia Internacional Contra a Discriminação Racial e o da Síndrome de Down….e também o dia de nascimento da Macaréu!

Macaréu – associação cultural completa hoje dois anos de existência – e porque a vida continua, junta-se ao Movimento Gaio na Serra da Freita para celebrar este dia tão simbólico com a acção de manutenção da plantação dos Seixos Brancos.

Um belo dia de Primavera para tod@s!

“Três amig@s”,trio de carvalhos no Planalto do Junqueiro – Serra da Freita.

Foto e título da autoria de Teresa Markowsky.

Em jeito de balanço…

O ano de 2020, marcado pela incerteza, que sublinhou a vulnerabilidade dos seres humanos e confrontou o modus operandi das sociedades mais desenvolvidas, está prestes a terminar. É tempo de fazer balanço…

Foi neste ano atípico que Macaréu – associação cultural completou um ano de existência em 21 de Março, em pleno confinamento.

Antes, além das diferentes actividades e eventos culturais, estreitamos laços e recebemos algumas organizações que realizaram as suas propostas, conversas e debates abertos ao público na Macaréu sobre temas actuais tais como as mudanças climáticas – que esperemos faça parte, em primeiro plano, da agenda de todos os países do mundo. Depois, encerramos a porta a 13 de Março e reabrimos em final de Junho, no S. João com um pequeno convívio ao ar livre no nosso jardim, já com as novas regras, as quais implicaram também a redução a um terço das pessoas que assistem a espectáculos e outros eventos na associação.

Lenta e progressivamente temos continuado e adaptado a nossa programação aos novos tempos que todos vivemos, sempre tendo em atenção a segurança de quem frequenta a associação.

Num outro ritmo, continuamos a realizar exposições, a apresentar concertos e peças de teatro e a receber variadas propostas de projectos do exterior. Algumas das nossas actividades regulares foram temporariamente suspensas mas outras começaram ou irão brevemente ter início, sempre em conformidade com as condições sanitárias que vierem a ser decretadas.

Apesar de toda a contingência, podemos dizer que o balanço deste ano foi positivo, mas desejamos que o próximo ano seja francamente melhor para a Macaréu e para tod@s vós.

Brevemente serão anunciadas novas actividades e eventos para 2021.

Toda a programação pode ser consultada nesta página ou em: https://www.facebook.com/Macar%C3%A9uAssocia%C3%A7%C3%A3oCultural989860331219583/

15 e 16.12

19.00h

Concertos comemorativos do 250º Aniversário de Ludwig Van Beethoven

Sonatas Nº 5, 7 e 9 para Violino e Piano

Vladimir Omeltchenko – Violino

Patrick de Hooghe – Piano

Sinopse:

Os Concertos comemorativos em celebração do 250º Aniversário do Ludwig Van Beethoven serão compostos por três obras-primas, as Sonatas Nº 5, 7 e 9 para Violino e Piano.

A Sonata Nº 5, Opus 24, conhecida por “Primavera”, foi composta em 1801 e dedicada ao Conde Moritz de Fries. 

A Sonata Nº 7, Opus 30, foi composta entre 1801 e 1802 e dedicada ao Czar da Rússia Alexandr I.

A Sonata Nº 9, baptizada com o nome “Kreutzer-Sonata”, foi dedicada ao violinista francês Rodolphe Kreutzer e estreada em 24 de Maio de 1803. 

O Duo de Violino e Piano “Vladimir & Patrick” para além de espectáculos no estrangeiro, já teve actuações em Portugal, nomeadamente no Porto e em São João da Madeira.

O Duo representa um encontro de duas Escolas de Música mundiais: a pianística Belga/Francesa, no caso do Patrick de Hooghe e a violinística Russa, no caso do Vladimir Omeltchenko. Conheceram-se ainda em 1995 na Rússia, quando Patrick de Hooghe fazia digressão pelo país e tocou a solo com a Orquestra Sinfónica dos Urais. Posteriormente tiveram uma colaboração na Europa: em França e Bélgica. Com o passar dos anos, entre manter e perder o contacto, voltaram a encontrar-se e chegaram à formação deste Duo, cada um com sua vasta experiência solística internacional.

PROGRAMA

15 de Dezembro de 2020

1)    Ludwig Van Beethoven, Sonata Nº 5 para Violino e Piano, Op. 24, F-dur

      “Spring Sonata” /  “Frühlingssonate”

       Andamento I: Allegro

       Andamento II: Adagio molto espressivo

       Andamento III: Scherzo, Allegro molto 

       Andamento IV: Rondo, Allegro ma non troppo

       2) Ludwig Van Beethoven, Sonata Nº 7 para Violino e Piano, Op. 30, C-moll

       Andamento I: Allegro con brio

       Andamento II: Adagio cantabile

       Andamento III: Scherzo, Allegro

       Andamento IV: Finale, Allegro – Presto

PROGRAMA

16 de Dezembro de 2020

1)    Ludwig Van Beethoven, Sonata Nº 5 para Violino e Piano, Op. 24, F-dur

      “Spring Sonata” /  “Frühlingssonate”

       Andamento I: Allegro

       Andamento II: Adagio molto espressivo

       Andamento III: Scherzo, Allegro molto 

       Andamento IV: Rondo, Allegro ma non troppo

2)    Ludwig Van Beethoven, Sonata Nº 9 para Violino e Piano, Op. 47, A-dur

“Kreutzer-Sonata”

Andamento I: Adagio sostenuto – Presto

Andamento II: Andante con variazioni

Andamento III: Presto

11.12

Às 19.00h

Concerto do ensemble Leyriath

O ensemble Leyriath apresenta uma actuação sem precedentes que combina narração de histórias lendárias com Música Antiga ao vivo.

As histórias são declamadas ao tom dos trovadores e bardos medievais, com uma identidade fantástica única. Escritas pelo alaudista e narrador do ensemble, têm a sua inspiração na própria música que o grupo interpreta. O repertório consiste numa colecção de música do início do Renascimento na Península Ibérica, e de Cantigas de Santa Maria (canções medievais galegas), sendo interpretado por músicos especializados em Música Antiga, com instrumentos construídos com base em modelos históricos (como o alaúde, a vielle, e algumas percussões).

Neste ritual mágico de palavras e música, o público poderá seguir as visões de Nunium, o Feiticeiro de Leyriath; bardo que viaja pelo mundo com os seus fiéis companheiros, para dar a conhecer ao mundo as histórias de fortuna e desgraça do seu maravilhoso reino. A música dos bardos de Leyriath permitirá portanto que o público vislumbre o reino de prata e safira de Leyriath, conhecendo os seus seres místicos e poderosos heróis, assim como encontrar Liseade, a musa de inspiração de Nunium.

Membros de Ensemble Leyriath:

Ricardo Alves Pereira (oud, narração)

Esin Yardimli Alves Pereira (vielle)

Isabel Martinez (percussão)


Para mais  informações: 

https://www.facebook.com/Leyriath


Lotação limitada. 6 macaréus à entrada. Reservas através de macaréu.porto@gmail.com


Leyriath Ensemble presents an unprecedented performance that combines legendary storytelling with live Early Music.

The stories are recited in the tone of medieval troubadours and bards, with a unique fantastical identity. Written by the ensemble’s lute player and narrator, they are inspired by the group’s own music. The repertoire consists of a collection of music from the beginning of the Renaissance in the Iberian Peninsula, and Cantigas de Santa Maria (medieval Galician songs), being performed by musicians specialised in Early Music, with instruments built based on historical models (such as the lute, the vielle, and some percussion instruments).

In this magical ritual of words and music, the audience will be able to follow the visions of Nunium, the Wizard of Leyriath; bard who travels the world with his loyal companions, to bring the stories of fortune and misfortune of his marvellous realm. The music of Leyriath’s bards will therefore allow the public to glimpse Leyriath’s kingdom of silver and sapphire, meeting its mystical beings and powerful heroes, as well as meeting Liseade, Nunium’s muse of inspiration.


Members of Leyriath Ensemble:
Ricardo Alves Pereira (oud, narration)

Esin Yardimli Alves Pereira (vielle)

Isabel Martinez (percussion)


For more information: 

https://www.facebook.com/Leyriath

13.11

Às 21.00h

Concerto com Sérgio Vieira e Fábio Pereira

Neste encontro, Sérgio Vieira (bateria) e Fábio Pereira (guitarra) apresentam um concerto onde o foco é interação jazzística.

Amigos e parceiros de trabalho, Fábio e Sérgio tocam temas standard do repertório jazzístico americano, mas de forma muito particular, deixando a improvisação ditar as regras e criar os ambientes e atmosferas sonoras. 

31.10

Às 20.30h

Jantar | Dia das Bruxas . Halloween

Na Macaréu vamos festejar o Dia das Bruxas | Halloween, com um jantar à luz das velas… 

Os convivas serão distribuídos pelas quatro salas disponíveis e encorajados a vir com indumentária, ou adereços, alusivos à quadra. 

Haverá um desfile com todos os cuidados e um prémio para o vencedor.

No final, se o tempo o permitir, iremos até ao jardim comer castanhas assadas na fogueira!

lotação limitada – reservas por MP ou para  933135993.

10 macaréus

[composição com fotos de peças originais de Nuno Moutinho]

23 e 24 de Outubro

Às 21.30h

25 de Outubro

Às 16.00h

Teatro: MULHERES, a partir de Federico García Lorca

Criação: Emanuel Rodrigues

Elenco: Helmar, Olga Ferreira e Patrícia Santos

Música e voz: Yosune Borobia

Quem são as mulheres na obra de García Lorca? Em que modos e de que forma são retratadas? Neste espectáculo percorremos excertos, poemas e canções do autor espanhol. Porque “o teatro é poesia que sai do livro e se faz Humana.”

Agradecimentos: Olga Noronha, Maria das Dores e Adelina Martins 

Obrigatório o uso de máscara. Lotação reduzida. 

Duração: 45 minutos

Info e reservas: 910123438 ou macareu.porto@gmail.com

Entrada: 10 macaréus

26.09

Às 21.00h

Concerto de Joel Nachio (Guitarra Clássica & Voz) + Daniel Chaves (Percussão) 

Joel Nachio, um cantautor/poeta português que apresentará um concerto constando de um repertório de composições autorais influenciadas por sonoridades de músicas do mundo com elementos de música africana e brasileira.  

Assumindo a voz e guitarra clássica e com músicas seleccionadas do seu último álbum “Para Além do Eco”, já disponível através das plataformas digitais, e novos temas. 

Contando com concertos pela Alemanha, República Checa, Eslováquia, Polónia, Lituânia, Letónia para além do território nacional e passando por músicas autorais patentes no álbum somos saudados com uma celebração de música do mundo inspirada por MPB, samba e bossa-nova.  

25.09

Às 18.30h


Apresentação do livro O fogo do coração de Peter Bampton

Sinopse:

Junta-te ao mestre espiritual e co-fundador do Awakened Life Project (Projecto Vida Desperta), Peter Bampton, numa exploração na imediatez radical e no potencial evolucionário do seu livro agora lançado em português O Fogo do Coração, uma abordagem ao Despertar Espiritual que é directa, contemporânea e integral na sua compreensão da condição humana. Cópias estarão disponíveis no evento.  

Peter Bampton estudou Literatura Inglesa em Londres e, inspirado pelo seu desejo de liberdade espiritual, passou vários anos a viajar pelo mundo. Participou em diversos retiros de meditação e quase se tornou monge budista. A sua trajetória levou-o a conhecer diversos professores e a integrar comunidades espirituais, tradicionais e contemporâneas. Em 2007, Peter e a sua parceira, Cynthia, compraram uma quinta abandonada no centro de Portugal, a Quinta da Mizarela, e cofundaram o Awakened Life Project. 

Além de ser um guia espiritual para a crescente rede de estudantes internacionais envolvidos no Awakened Life Project, Peter dá retiros e cursos que catalisam o Despertar para a radical imediatez da Liberdade, aqui e agora, e facilita a tarefa transformativa de incorporar esta verdade na vida quotidiana. 

Outros dos seus interesses incluem tocar blues na guitarra, praticar qigong, fazer caminhadas pelos trilhos que rodeiam a Quinta da Mizarela, apanhar verduras selvagens, expor as mentiras que nos foram ditas sobre praticamente tudo, e uma boa chávena de chá.

11.09.20

Às 21.30h

Dream Metaphor: NAM CO

Sinopse:


Nam Co é a uma das mais recentes criações do Colectivo Artístico Dream Metaphor. Uma

viagem sonora pelas margens e pelas profundezas do lago Nam Co, no Tibete.

Perto de um terço da população do mundo depende do fornecimento de água do planalto tibetano, o desenvolvimento futuro das monções neste planalto terá um grande impacto social. Nam Co representa um dos maiores e mais profundos lagos do planalto tibetano.

Nam Co, o Lago Celestial, é a fonte de inspiração nesta viagem meditativa, de contornos étnicos e etéreos, dedicada a este elemento que é fonte de vida: a Água.

Ficha artística:


Composição e interpretação: Cláudia Pinto (shruti box e pequenas percussões), Leonel

Ranção (Percussões) e Ricardo Canedo (Tarang e percussões)

Criação e produção: Dream Metaphor

Todos os sábados de Agosto

Às 22.00h

Tão Estranhamente Eu

Teatro Aramá

Sinopse

A diversidade de personalidades oferecidas pelo poeta Fernando Pessoa através dos seus heterónimos, permite uma leitura sobre a complexidade da sua obra e inevitavelmente do seu “EU”.

O espetáculo aventura-se numa interpretação, evidentemente particularizada; não excluindo, no entanto, a contaminação de diferentes leituras e interpretações sobre o autor e a sua obra, ortónima e heterónima, em que se procura atingir alguns dos traços mais marcantes de cada uma destas personalidades. Porém, a escolha dos textos, na integra ou parciais, direciona-se, de modo mais evidente, para contextos em que o corpo, o género, os afetos, a sensualidade, e a distante infância sobressaem,  sem no entanto deixar de revelar outras faces de um “Eu múltiplo” – de um “Eu” que é tantos outros.

Tão Estranhamente Eu é um espetáculo que se alimenta de dramas de personagens que nascem e se definem na fonte da mais bela poesia, e dela fazem a sua linguagem, o seu modo de comunicar e de exprimir a sua humanidade; pois é no conhecimento da dimensão e profundidade humanas que o poeta criador (de tantos outros) se atinge em pleno.

Tão Estranhamente Eu teve a sua estreia em 2011 no Teatro Rivoli. Recentemente o Aramá «estreou» uma nova versão do espetáculo, que privilegia  a sua adaptação a  diferentes espaços: salas de espetáculos, café-concerto,  monumentos, museus, galerias, espaços ao ar livre: jardins,  anfiteatros,  claustros e/ou outros espaços propícios.    

23 e 24.07

Às 19.00h

MONO – TEATRO – TIAGO SINES: A morte de Bunny Munro

O evangelho segundo S. Marcos 11–16 Durante a última semana de Sua vida, o Salvador entra em Jerusalém, ensina a Seus discípulos, sofre no Getsêmani e é crucificado. Jesus Cristo ressuscita.

O macho é completamente egocêntrico, fechado em si próprio, incapaz de ter empatia ou de identificar-se com os outros, incapaz de sentir amor, amizade, afeto ou ternura. É um elemento completamente isolado, inepto para relacionar-se com alguém. Suas reações não são cerebrais, mas totalmente viscerais; sua inteligência só lhe serve como instrumento para satisfazer seus impulsos e suas necessidades; é incapaz de experimentar as paixões mentais, as interações mentais; ele não consegue se relacionar com nada além de suas próprias sensações físicas.- SCUM Manifesto

Ciclo de Performances a Solo 

MONO – MÚSICA – Evento Tbt acústico

Isadora Rinelle

15 e 22 Julho, às 19.00h

Isadora Rinelle artista há mais de 20 anos: palhaça, malabarista, atriz e cantora.
Repertório em formato acústico com releituras variadas que viajam do rock, pop, jazz, anos 60’s 70’s 80’s e 90’s

Ciclo de Performances a Solo 

MONO – DANÇA – OPHELIA Filipa Duarte

18 e 19 de Julho – 19:00

Ophelia, “the woman with the sliced arteries”, é uma viagem por entre relacionamentos. Coloca o corpo físico em confronto com o emocional, deslizando entre vítima e vingador, transformando a solidão em solitude. Ophelia,“the woman with her head in the gas oven”, um manifesto do corpo, de pertença, abuso, sexo e morte, que procura reescrever as memórias de vidas cruzadas, redescobrir a sexualidade do indivíduo e, dessa forma, entender o significado da identidade feminina de hoje.

Ciclo de Performances a Solo 

MONO – TEATRO/CLOWN – IN_REFLEXO

Dalila LaMour

16 e 17 de Julho – 19:00

In_Reflexo é um convite à reflexão acerca da construção social do género feminino na nossa sociedade e do que nos é apresentado principalmente pelos media e por normas de conduta que foram historicamente construídas, bem como a erotização do género feminino desde a infância.

ZiggyFrida é uma palhaça alegre e sonhadora que está em fase de desenvolvimento. Um dia, ela encontra uma caixa com muitos objectos. Seria um presente para ela? Curiosa como todas as meninas e como todas as palhaças, ela decide experimentar tudo o que encontra dentro. O que está ZiggyFrida a descobrir? A palhaça mergulha em novas descobertas do que lhe é apresentado como “o mundo feminino”. 

Porém, o que ela não sabe é o quanto essas novas experiências vão mudar o seu 

comportamento e a imagem que ela tem de si mesma, fazendo com que ela 

queira se tornar algo que ela não é. 

Essas novas experimentações vão lhe provocando sensações e descobertas

diversas que a levam a ficar obcecada com a questão da beleza, até que ela se 

depara com um objeto que a faz parar e refletir. 

O que é que ela vê agora? O que é que esse objecto reflete?

Entre encantamentos e estranhamente, ZiggyFrida é levada a indagar-se a si 

mesma sobre quem ela é agora, ao mesmo tempo em que nos convida a refletir sobre alguns estereótipos de beleza que nos são apresentados e como muitas vezes nos distanciamos de nossa essência ao tentarmos  encaixar-nos nesses modelos.

MONO – CICLO DE PERFORMANCES A SOLO

15-26 Julho, às 19.00h

Produção e coordenação de Emanuel Rodrigues

O projecto MONO – CICLO DE PERFORMANCES A SOLO pretende dar lugar ao trabalho a solo de artistas da música, do teatro e da dança. Porquê trabalhar a solo? Quais os desafios? Qual a relação do artista com a obra? Estas são algumas das questões que o projecto pretende discutir.

Distância de segurança entre o performer e o público. Obrigatório o uso de máscara.
Higienização do espaço após cada espectáculo.

NOTA: O projecto havia sido pensado para Março de 2020 e ganhou assim uma nova forma dadas as circunstâncias do ano que atravessamos em que muitos artistas viram os seus trabalhos cancelados e em muitos casos onde não é possível conjugar questões de saúde pública com o exercício da actividade.

Lotação limitada a 20 lugares com distância entre cadeiras. Reserva obrigatória.

Bilhete: 8 macaréus.
O espectador pode escolher jantar após o espectáculo com marcação prévia.

Informações e reservas: 910123438 ou macareu.porto@gmail.com https://www.facebook.com/events/707280680060341?active_tab=about

23.06

20.00h

S. João na Macaréu!

Macaréu – associação cultural vai reabrir a porta ao fim da tarde de 23 de Junho, data consagrada à típica noite de S. João na cidade do Porto.

Numa noite de santos populares diferente, sem os tradicionais arraiais e marchas de rua, venha até à Macaréu para um agradável jantar-convívio no jardim.

O jantar vegetariano será servido a partir das 20:00h (caldo verde c/ broa, bifanas, espetadas veggie, pleurotos e pimentos assados, batatas cozidas e na brasa, sangria, cheese cake…)

As reservas deverão sei feitas por MP ou no mail da Macaréu (macareu.porto@gmail.com) até às 24.00h de Domingo, 21 de Junho. Lotação limitada.

NOTA: Estarão afixados à entrada da associação os procedimentos a ter dentro da mesma sabendo de antemão que teremos a vossa compreensão.

REABERTURA

Arte e os Artistas têm que viver!

É tempo de (re)inventar e (re)criar novos modos de estar em comunidade! A cultura é, também, isso – interacção e recriação…

Macaréu – Associação Cultural, imbuída desse espírito,  propõe-se reabrir brevemente, em data a anunciar, agora com o logótipo vencedor, da autoria de Epositiva – creative solutions à qual muito agradecemos.

As vossas propostas, ideias e sugestões serão bem vindas!

Estarão afixados à entrada da associação os procedimentos a ter dentro da mesma, sabendo de antemão que teremos a vossa compreensão.

NOTA: Atendendo às restrições quanto ao número de pessoas que a Macaréu albergará em cada evento, solicita-se a reserva prévia através do FB ou mail da Macaréu. Cada iniciativa terá as suas condições, que serão anunciadas aquando da criação e divulgação dos eventos. Cada espectáculo terá a sua própria bilheteira.

Olhar Poesia

No primeiro domingo de cada mês, pelas 16:30 horas, na Macaréu.

Trazer o rosto aberto,


Em português correcto.

Se quer participar nesta nova rubrica da Macaréu e mergulhar nas águas de Calíope, por favor inscreva-se, sem qualquer custo, em: macareu.porto@gmail.com

Serão avisados logo que tenha data marcada a primeira sessão.

Fotografia de Shannon VanDenHeuvel on https://unsplash.com/@shannonnicolevandy

Em dia de aniversário….

Hoje, 21 de Março, comemora-se o Dia Mundial da Poesia, da Árvore ou da Floresta, o Dia Internacional Contra a Discriminação Racial e o da Síndrome de Down.

Macaréu – Associação Cultural completa um ano de existência desde a sua abertura oficial em 21 de Março de 2019. E, porque valores mais altos se levantam, as celebrações terão de ser adiadas e a sagração da Primavera terá de ser feita das nossas casas…

Foi um ano rico de desafios, muito participativo, também de algumas polémicas entretanto sanadas, de ajustes necessários ao crescimento e construção de uma identidade, com um balanço muito positivo. Conseguimos  criar as nossas rubricas regulares com participantes fieis sem descurar ter mantido a porta aberta ao exterior e às numerosas propostas recebidas quer nacionais quer estrangeiras. O lema da Macaréu é o equilíbrio entre o que entra e o que sai, o exterior e o interior, o pequeno e o grande, a fusão e a remodelação…

Contudo, podemos e devemos fazer mais, muito mais! E, nesse sentido, este ano pretendemos  alargar e reforçar a nossa interacção com outras associações e instituições de foro cultural, ambiental e de solidariedade social. Pretendemos continuar a construção com o nosso crescimento interno e afirmação, mas mantendo a abertura a todos quantos quiserem apresentar seus projectos e iniciativas na Macaréu.

Macaréu, onda poderosa, contra a corrente, contagiante, única e transformadora…  Assim se quer este novo Lugar de expressão cultural e de afirmação de cidadania responsável e activa.

Até breve!

14.03

Às 21.30hCANCELADO

Concerto de guitarra clássica de oito cordas, com Martin Spyyd Prydal

A guitarra clássica, conhecida no Brasil como violão é uma guitarra acústica com cordas de nylon ou aço, concebida inicialmente para interpretação de peças de música erudita. O corpo é oco e chato, em forma de oito e feito por um luthier, em diferentes madeiras. O braço é dividido por trastes que a tornam um instrumento temperado. As versões mais comuns têm 6 cordas, mas podem também ter 7, 8 ou mais…

Martin Spyyd Prydal, estudante Erasmus da República Checa, está de novo no Porto, recém- regressado do Brasil e trouxe com ele uma nova guitarra/ violão de 8 cordas que apresentará na Macaréu no sábado, dia 14 de março, pelas 21:30h.

14.04

Às 15.30hCANCELADO

Apresentação do livro Sentimentos da Alma, de Rosa Resende, editado pela Modocromia.

Rosa Resende é natural da Póvoa de Varzim onde reside.
Na vida, destaca as emoções, sensações, sentimentos, estados de alma aos quais dá expressão através da escrita, da pintura e do desenho.
Decorrente da sua natureza sensível e intensa, encontra no sentimento Amor, a inspiração para escrever o que lhe vai na alma.
Do percurso literário fazem parte duas Antologias Poetas d’hoje do Grupo de Poesia da Beira Ria | Aveiro, e, três Antologias de Logos Fénix (www.carmovasconcelos-fenix.org/LOGOS/PAZ-2018/PAZ-2018.htm).
O trabalho poético e individual da sua autoria pode ser acompanhado nas páginas: www.facebook.com/Sentimentos-da-Alma-583438611769671/
www.facebook.com/Momentos-Sentidos-1870522973224961/
www.facebook.com/Meus-Pensamentos-698410440259782/
Sentimentos da Alma é o primeiro livro de poesia editado pela autora.
 

8.03

Às 18.00h

No dia da Mulher, com Helena Cardoso, NUM TEMPO SEM TEMPO,

Convidada, há vários anos atrás, para o “Projecto Apoio à Mulher Rural”, assim me vi na serra a viver um quotidiano rural absolutamente novo, contactando 24h por dia com gente, bichos e paisagem, como só na minha infância, em casa dos meus avós maternos, de que ainda guardo gratas recordações.

 Ao iniciar, em meios isolados e carenciados, uma pesquisa têxtil, assumindo a inovação e recriação em saberes e formas tradicionais, não quebrando a ligação à memória que nos identifica como cultura, foi um desafio.    Porque duma ciência humana se trata, a sua experiência, qualidade e beleza destes saberes, confere-lhes, à luz das tecnologias contemporâneas, um lugar de destaque.                               Recuperar teares, reaprender artes, dar vida às escolas sem crianças, rememorar utilidades, reavivar a lembrança dos velhos, valorizando conhecimentos perdidos num tempo sem tempo, procurando uma identidade colectiva. Por último, parafraseando António Gedeão:   

“É tudo tão simples, quando se rola a flôr entre os dedos!                                                                          Os estadistas não sabem, mas nós os das flôres, para                                                                                      quem os caminhos do sonho não guardam segredos                                                                                        sabemos isso e todas as coisas que os livros não sabem!”

5.03

Às 21.00h


Macaréu recebe SHAMA – Shama Rahman Arts

“Imagine Dead Can Dance and Björk getting together in a folk club, to make jazzy trip-hop records… with sitars.” – Songwriting Magazine.

Shama Rahman was born in the United Arab Emirates, has British-Bangladeshi roots and lives in London. This melange lives and radiates in her music.

In Feb 2020 Shama releases her third studio album, ‘Let The Light In’ (NarRator Records) – as ‘Shama and Friends’.

This is a wonderfully collaborative creative endeavour with musicians from all over Europe. Composed, improvised and recorded over two years on the shores of beautiful Lake Balaton in Hungary, it features incredible instrumentalists and composers from France, Spain, Germany, Serbia, Hungary, and ofcourse the UK. Diverse in inspiration and unified in Shama’s distinctive style of cross-genre sitar-embedded multicultural sound.

“A sort of general theme in the album is going from darkness into lightness. The idea behind it is that only through dark times, where things break down, can you see the gaps through which the light can shine.” she says, inspired by Leonard Cohen.

‘Let The Light In’ will be launched in The Post Bar in London on the 29th of February, where Shama will start a tour around Spain, France, Portugal and the Netherlands.

29.02

Às 17.00h

Macaréu recebe CONVERSAS DECRESCENTISTAS:  CONVERSA #2 | FLUXOS: O FILME ACELERADO DE TUDO

Organização Rede para o Decrescimento / Núcleo do Porto

O que é o decrescimento? Esta é a interrogação fundamental em todas as Conversas. A ela vem reunir-se outra pergunta, variando esta de mês a mês, mais específica ou mais orientada: todos os meses teremos um tema diferente e convidados oriundos de outros movimentos ou horizontes, para trocarmos ideias de modo aberto e criativo. Como podemos contribuir, numa perspectiva decrescentista, para a superação dos desafios actuais, na nossa vida, na região ou no planeta?

Venham conversar. Após a tertúlia, haverá um convívio com música, comes e bebes, para começar bem a noite de sábado.

CONVERSA #2 | FLUXOS: O FILME ACELERADO DE TUDO

Houve um tempo em que o cinema mudo nos deixava assistir sentados à aceleração da vida moderna: via-se o actor burlesco ser esmagado pelos carros ou cair dos arranha-céus, sem nunca morrer ou ficar incapacitado. E tudo nos parecia ainda humano e aceitável desde que ficasse nas imagens. Mas essa fúria não ficou guardada no celulóide: as imagens aceleradas desse cinema eram apenas uma pálida antevisão dos fluxos nas nossas vidas. «Fluxo» é agora uma palavra que parece suavizar a incompreensão e o choque nas nossas existências. Hoje, somos o empregado que corre em competição com o processador, o passageiro que voa por tudo e por nada, o funcionário de armazém soterrado pela circulação de mercadorias da Amazon ou da nova Rota da Seda. E por nós passam estímulos de todo o tipo, somos atravessados por frequências electromagnéticas carregadas de nada, corremos mais e mais depressa por dentro das imagens. E o dinheiro, esse, fulmina-nos com a sua capacidade de tudo substituir ainda mais velozmente. No sábado, 29, vamos falar do filme real em que nos colocaram, dizendo-nos não haver maneira dele sair.

https://mail.google.com/mail/u/0?ik=cf8b9b361c&view=pt&search=all&permthid=thread-f%3A1659288128237618237&simpl=msg-f%3A1659288128237618237 1/2

23/02/2020 Gmail – CONVERSAS DECRESCENTISTAS #2 | FLUXOS: O FILME ACELERADO DE TUDO | 29 FEVEREIRO – PORTO

Numa perspetiva decrescentista, urge contrariar a exacerbação do movimento de coisas e pessoas. Nesta sessão, conversaremos sobre novas e antigas ideias relativas à reaproximação do trabalho ao espaço de habitação, a reaproximação do tempo psicobiológico ao tempo social, a convivência entre actividades primárias, como a agricultura, e actividades secundárias, ditas de transformação. Falaremos ainda da necessidade de romper o circuito da mundialização do comércio e das suas implicações.

CONVIDADOS

Humberto Silva | Associação Década Reversível (ADERE) e Movimento Diz Não ao Paredão (Porto de Leixões) Helena Amaro | FAUP / mobilidade e burnoutAna Pinheiro | Habitar Porto

27.02

Às 21.00h

Macaréu recebe teatro – Se vivêssemos em um lugar normal

Primeira adaptação para o teatro da obra literária homônima do escritor mexicano Juan Pablo Villalobos. Interpretada por Roberto Rodrigues, a história narra a saga de Orestes, um jovem de 13 anos, diante dos conflitos sociais que permeiam sua família e sociedade. Dentro da “caixa de sapato”, apelido que Orestes dá a casa em que vive junto com seus pais e os 6 irmãos, no morro da “Puta que pariu”, o protagonista, tenta entender sua situação económica e avaliar curso de sua própria sorte, quando ameaças reais vão desenhando a tragédia que se aproxima. De uma narrativa cómica, dinâmica e irônica, essa tragicomédia resultará numa encenação deliciosamente subversiva.

24.02

Às 21.00h

Jantar de Entrudo com Fantasma da Ópera


Pequeno recital lirico onde será interpretada, pelo Tenor MÁRIO FERREIRA
“Music of the night” do Fantasma da Ópera
Momento de Karaoke (pode trazer instrumento musical)

22.02

Às 21.00h

Porto Street Friends Night

O Friends Jazz Trio (Carlos Cepinha guitarra, Francisco Rodrigues guitarra e Daniel Toro saxofone) é um grupo espontâneo de músicos de jazz que se encontram com frequência na rua de Santa Catarina e, nesses momentos, tocam juntos. Isso acontece apenas em janeiro e fevereiro de há três anos para cá, meses em que um dos amigos, que toca numa orquestra na Alemanha, vem de férias para o Porto.

16.02

Das 12.30h às 17.00h

Com cheirinho!

No próximo dia 16 de fevereiro, teremos “Com Cheirinho”, um brunch com Cheirinho de Tango ou uma milonga com Cheirinho de Brunch!!!

Uma experiência que alia uma boa refeição, o tango e o convívio entre os participantes, num ambiente que acreditamos ser descontraído e acolhedor. Acreditamos que aliar ambas as experiências configura um valor acrescentado face a cada uma das experiências individuais. Ainda assim, se apenas quiseres experienciar uma das modalidades, tal também será possível.

Garantimos opções vegetarianas e glúten free…

Brunch e Milonga (Com Cheirinho) – 15 Tangos

Apenas Brunch – 12,5 Tangos

Apenas Milonga – 4 Tangos

Para conseguirmos que disfrutes ao máximo da nossa proposta, e para que possamos garantir um bom serviço, agradecemos que nos comuniques a tua intenção de participar no brunch, por forma a garantir que há comida suficiente para todos.

Para isso, solicitamos que faças a tua reserva através de contacto direto, com uma de nós, através de telefone ou mensagem privada, ou ainda através de dos contatos abaixo identificados, até ao próximo dia 13 de fevereiro:

Marta Moreira – martasgmoreira@gmail.com

Patrícia Santos – patmariasantos@gmail.com

Esperamos por ti!

15.02

Às 21.30h

Morte, medos, paixões – assim é a vida (e não propriamente por esta desordem)

“Bater o coração


Enquanto os pássaros batem as asas para voar,

Nós batemos o coração.”

Afonso Cruz

Um espectáculo de histórias, sons e sombras
para crianças maduras (vermelhinhas vermelhinhas, quase a cair da árvore), jovens sensíveis e adultos também.

 Direcção e Contação de Histórias – Paulo A. Jorge


Sombras – Clara Gonçalves


Música – João Magalhães

Neste espectáculo são lidos textos de Afonso Cruz (retirados do seu livro “Paz traz paz”, Companhia das Letras, 2019) e contadas as seguintes histórias:    

“El pato y la muerte”, de Wolf Erlbruch, com edição Barbara Fiore Editora, 2007;

“História para o meu filho João de cada vez que tiver medo”, retirada do livro “Pequeno livro dos medos” de Sérgio Godinho, editado pela Assírio e Alvim, 2000;

“O dia em que me tornei pássaro”, de Ingrid Chabbert, editado em 2018 pela Poets and Dragons Society.

Escutamos também os temas musicais “My Little Brown Book” de Duke Ellington e John Coltrane, “Gymnopédie n.° 3”de Erik Satie, “Atlantis” de Morton Feldman e “Blue Nile” de Alice Coltrane.

Entrada: 5 euros

15.02

Às 18.00h

Macaréu recebe sessão de esclarecimento XR

Desta vez a um sábado para quem não tem disponibilidade durante a semana!
Enfrentamos uma crise climática e ecológica!

Apesar de todos os alertas, que se repetem há mais de 30 anos, continuamos a ver uma enorme inacção para inverter esta trajectória que nos levará ao colapso civilizacional bem mais cedo do que o optimismo nos indicava.

Os cientistas dizem-nos que temos pouco mais de 11 anos para alterar quase tudo de forma a evitarmos pontos sem retorno que tornarão irreversível o caos climático.

Isto é uma emergência global sem precedentes…e precisamos de verdadeiras soluções para evitar o colapso.

Nesta apresentação pública vamos partilhar a ciência climática mais actual, discutir o ponto de situação das políticas climáticas e oferecer soluções de acordo com estudos sobre vários movimentos sociais que levaram a mudanças de grande escala, como aquela que precisamos neste momento.

Toda a gente é bem-vinda e vamos ter tempo para perguntas e comentários.

Mais informação:

https://rebellion.earth
www.facebook.com/extinctionrebellionporto/

12.02

Às 19.30h

Macaréu recebe a equipa do Porto do GNDE (Green New Deal para a Europa)

Olá amigos e amigas,

Gostaríamos de vos convidar para a nossa:

Reunião de lançamento do projeto “Assembleias Populares” in Macaréu

O nosso objetivo é transformar o Porto numa cidade que dê poder à sua população e invista no nosso futuro, que seja cautelosa quanto ao seu impacto ambiental e que se comprometa a agir de forma regenerativa.

Para alcançar este objetivo, estamos a planear organizar Assembleias Populares com a participação das pessoas do Porto para debater enquanto comunidade qual é a nossa visão comum para a cidade e qual será o nosso plano no que diz respeito às nossas lutas ambientais e sociais. Como objetivo específico, estamos a planear levar estas ideias às eleições municipais do Porto, em 2021.

A agenda desta reunião será composta por:

– Apresentação da proposta e das Assembleias Populares.

– Constituição da equipa para avançar com a organização.

A desigualdade e as alterações climáticas são ambas questões globais que precisam de ser abordadas numa mesma escala global. Os grandes fluxos de dinheiro no setor imobiliário do Porto resultam num número cada vez maior de pessoas que não conseguem pagar a renda, isto num Portugal que é o país da UE com as taxas de mortalidade mais elevadas devido às temperaturas frias. Ao mesmo tempo, os mais pobres e os mais fracos são os mais afetados pelas alterações climáticas, devido a incêndios, vagas de calor e inundações.

Uma vez que não podemos confiar na política tradicional ou na dinâmica dos mercados para defender os nossos direitos, cabe-nos agora criar um movimento suficientemente grande para mudar o status quo.

Questionando-nos sobre como avançar, decidimos que temos de começar localmente. Começar a construir uma cultura de mudança e desenvolver uma estratégia que possa crescer de apenas algumas pessoas locais para um poderoso movimento internacional.

Assim, propomos que as Eleições Municipais do Porto 2021 sejam um primeiro passo para uma mudança na política europeia. Mais especificamente, queremos ter candidatos a concorrer com ideias progressistas, que reflitam a urgência da nossa situação e as exigências dos portuenses.

Para alcançar este objetivo, queremos mobilizar ativistas que já lutam há muitos anos e, sobretudo, para que possamos realmente fazer a diferença, queremos chegar àquelas pessoas que normalmente não estão incluídas no discurso político. Isto inclui pessoas da classe trabalhadora, migrantes, pessoas socialmente desfavorecidas, entre muitas outras. E temos de encarar isto como um pré-requisito para que possamos organizar uma mudança significativa.

O aspeto chave da nossa proposta é a criação das chamadas Assembleias Populares. Nessas assembleias, os portuenses terão a oportunidade de desenvolver políticas e ideias para a cidade, juntamente com especialistas em meio ambiente, sindicatos e cientistas.

Para fazer das assembleias populares um sucesso, acreditamos que temos de abordar as pessoas no Porto cara a cara. Isto significa que temos de falar diretamente com as nossas famílias e amigos, bem como bater às portas e convidar as pessoas a participar.

Esperamos ter como resultado das assembleias populares um conjunto de propostas políticas, as quais iremos incentivar que candidatos às eleições municipais adotem como parte do seu programa. Outra opção será o apoio a alguém que se tenha envolvido neste processo e que se voluntaria para concorrer como candidato.

Para iniciar este projeto estamos a planear reunir uma variedade de movimentos locais, ONGs, especialistas e pessoas do Porto para uma reunião de lançamento para apresentar a nossa ideia.

Esperamos que aceitem o desafio e se juntem a este movimento porque só com a contribuição de cada um de nós podemos transformar a nossa cidade num lugar onde as pessoas possam pagar uma habitação, que é bem isolada e abastecida por energia renovável, uma cidade onde todos possam ter acesso a transportes públicos de alta qualidade e uma cidade que dê poder aos seus cidadãos para dar vida às suas ideias.

Sabemos que este objetivo é muito ambicioso. Mas também sabemos que é exequível se se juntarem a nós.

Por favor, digam-nos se estiverem interessados em participar e partilhem este convite com todos os vossos amigos e familiares!

Esperamos ver-vos no Macaréu!

Atenciosamente,


A equipa do Porto do GNDE (Green New Deal para a Europa)

PS: Se desejarem saber mais acerca do GNDE, podem ver aqui.
https://report.gndforeurope.com/executive-summary-pt/

E se quiserem saber mais sobre a ideia das assembleias populares, aqui está algum material:

https://report.gndforeurope.com/#2.3

https://rebellion.earth/wp/wp-content/uploads/2019/06/The-Extinction-Rebellion-Guide-to-Citizens-Assemblies-Version-1.1-25-June-2019.pdf

8.02

Às 21.30h

Apresentação do CD Espinho, piano solo, de Manuel Guimarães e músicos convidados

Manuel Guimarães, pianista, guitarrista, compositor e improvisador. Iniciou a formação musical em piano, nos anos 60, na Academia de Música de Espinho, posteriormente, nos anos 80, em composição, no Conservatório de Música do Porto, e em 2014, em Ciências Musicais na Universidade Nova de Lisboa. O seu percurso musical abrange diferentes áreas: erudita, rock, folk, jazz e improvisação transidiomática. Mantém colaboração com vários músicos deste espectro de influências. Gravou, em piano solo, o CD Flow me, em 2016, e o CD Espinho, em 2019. Faz parte do ensemble Gestalt, do Quarteto Incrível, Free Pantone Trio, e Metaphysical Angels.

1.02

Às 21.00h

E

2.02

Às 18.00h

The Pambazos Bros – Flamingos de Fuego

Flamingos de Fuego é um conjunto cômico-músico-tropical. Integrado por três músicos românticos incansáveis, que deleitam o público com clássicos do Bolero, da Cumbia e do Chachacha em versões cômicas.

Este espetáculo cênico musical nos recria aquele ambiente e estética tão peculiar dos boleros dos anos 50, numa seleção de músicas arrancadas das páginas do cancioneiro internacional, grifadas em si da linguagem mais viva do comum das ruas da nossa América e do mundo, tudo adocicado com muito humor.

1.02

Às 18.00h

Nunes Zarel·leci cOBRA

Leituras dos 6 livros de poesia do autor e apresentação de video-poemas “Poesia em Loop”

Biografia: 

Nunes Zarel·leci (pseudónimo) nasceu em Lourenço Marques em 1970. Vive no Porto desde 1975. Viajou pela Europa de mochila nos anos ’90. Entre 1999 e 2005 viveu em Barcelona. É autor de fanzines desde 1989. Criou as Edições D.Flagra em 2005 e publicou 6 livros de poesia desde então. É Cordão Amarelo no Jogo da Capoeira. Frequenta Associações Culturais e de Solidariedade Social, Bibliotecas, Okupas e Livrarias.

https://edicoesdeflagra.wordpress.com/.

31.01

Às 21.00h

Concerto de Tim Miller – Dimitri


Dimitri
Scientific music from the European continent. Hi-fidelity audio which consist of Adverts, Love Songs and Official Soundtracks. Plus Night Time Driving Music and the commentary of a sophisticated lifestyle.
https://open.spotify.com/artist/1nk8IQSfxr2tklMXSiULBs?si=pJm_pU99TdG9MwBlan4wCQ
https://youtu.be/tYk8A0y92Ac
https://www.instagram.com/dimitri_why_dont

std.mdl[shitxyz]
Tim Miller is a songwriter from the Potteries and singer with the wild Rio de Janeiro based Garage Punk band, [std].mdl. He deconstructs pop songs in the name of Brechtian alienation. Everything he says is a lie, but his heart is true. He cheerfully sings of his own failure, the failure of others and the failure of society in general. He is very much looking forward to returning to Hamburg.
https://soundcloud.com/3tandard-model
https://www.stokesentinel.co.uk/news/rio-based-singer-finally-returns-1063901
https://www.facebook.com/AStandardModel/
https://www.instagram.com/std.mdl/

insta & twitter @jackofthearts

29.01

Às 21.00h

Conversa/Debate: Primavera pelo Clima

O planeta está numa crise climática: os e as cientistas concordam que estamos à beira dum colapso ecológico e no meio da sexta extinção em massa que nós causamos. Isto é uma emergência global sem precedentes. Se queres saber mais sobre o que está a acontecer ao nosso planeta e como podes fazer parte duma rebelião por um planeta habitável, isto é a tua oportunidade.

Nesta apresentação pública, vamos partilhar a ciência climática mais actual, discutir o ponto de situação das políticas climáticas e oferecer soluções de acordo com estudos dos movimentos sociais. Vamos também partilhar planos sobre as mobilizações da Primavera de 2020.

Toda a gente é bem-vinda e vamos ter bastante tempo para perguntas e comentários. A entrada é livre mas pedimos donativos para cobrir as despesas de viagem d@s oradorxs, se puderes.

Queres marcar uma apresentação no teu bairro / na tua escola / na tua faculdade / na tua associação? Fala connosco.

Mais informações:
www.climaximo.pt

24 e 25 de Janeiro às 21:30h

26 de Janeiro às 16:30h

MACARÉU – ASSOCIAÇÃO CULTURAL apresenta MIGRANTES 

a partir de

MIGRAAAANTES

ou

É GENTE A MAIS NESTE BARQUINHO DE MERDA 

ou 

O SALÃO DA CLAUSURA 

de Matéi Visniec

No espectáculo MIGRANTES questionamos até que ponto somos todos migrantes, imigrantes, emigrantes ou refugiados. Questionamos os meios, as vontades e as necessidades de quem se vê obrigado a deixar tudo para trás e a atravessar o mar. Que tipo de negócios esconde esta crise? Estamos todos no mesmo barco? O espectáculo apresenta várias perspectivas para uma crise que é, no fundo, de todos nós.

O projecto, iniciado em Setembro de 2019, junta em cena pessoas de várias áreas profissionais. 

“Globalizamos a economia, promovemos a circulação de ideais, de capitais, de mercadorias e de serviços… Então porque não reconhecer também o direito de as pessoas circularem livremente?”

Encenação: Emanuel Rodrigues 

Assistência de encenação: Sara Ângelo Matias 

Operação de luz e som: Sara Ângelo Matias

Elenco: Emanuel Rodrigues, Helmar, Isabel Andrade Silva, Marisa Alves, Mário Ferreira, Patrícia Santos e Teresa Dantas 

Agradecimentos: Luís Ternus, Diogo Barbedo, Maria das Dores Santos, Menino do Douro, Sandra Ramos, Flora Oliveira, Helder Alves, Celina Andrade, Orquídea Soares de Lima, Sofia Neiva, Luísa Albuquerque, Luís Cochofel, Gueorgui Smirnov

O bar estará aberto

Lotação limitada

Macaréu, onda poderosa, contra a corrente, contagiante, única e transformadora…

Um Lugar urbano aberto, diverso e inclusivo – comunidade de acolhimento, encontro,  integração, consciencialização e transformação – atento às múltiplas formas de expressão cultural, menos e/ou mais letradas, procurando valorizar, promover e cruzar saberes em liberdade de pensamento, da palavra e da acção individual ou colectiva; um Lugar de cooperação, integração e desenvolvimento comunitário sob o signo dos direitos humanos e deveres cívicos propondo uma comunidade diversa e coesa.

(Excerto da apresentação de Macaréu – Associação Cultural)

A apresentação desta peça surge de uma conversa com Emanuel Rodrigues no verão passado, o qual nos contactou para saber se poderíamos albergar no nosso espaço os ensaios e posterior representação da peça de teatro “Migrantes”, de Matéi Visniec.

Originalmente este projecto seria para realizar com actores profissionais. Contudo, no decorrer da nossa conversa, surgiu a ideia de levarmos a cabo este projecto com associados da Macaréu. Foi enviada uma mensagem aos associados para saber quem quereria participar nesta aventura. Os que responderam ao chamado são os actores que hoje terão oportunidade de ver em cena.

Helena Granja – Macaréu, Associação Cultural

O espectáculo “Migrantes” foi construído a partir de dois objectivos: o primeiro, e parte integrante do projecto, explorar as ferramentas do teatro, e o segundo, mais pessoal, a tentativa de significar através dessas mesmas ferramentas aquilo que me/nos parece ser mais importante de sublinhar.

Agradeço à Macaréu e aos actores que reservaram, durante 4 meses, algumas horas dos seus dias para explorar, questionar e viver estas realidades.

Emanuel Rodrigues – Encenador

Biblio-Macaréu

Macaréu – Associação Cultural dispõe de uma pequena biblioteca em construção, cujas prateleiras aguardam os livros que, generosamente, queiram doar. Aceitam-se livros de ficção, ensaio, poesia, arte, ciência, filosofia, sociologia, política, etc. Aceitam-se, também, revistas de artes e letras e de ciências.

A biblioteca está aberta todas as quartas-feiras das 15.00h às 21.00h e nos outros dias sempre que ocorram eventos na Macaréu, previamente anunciados na página web e FB da associação.